Folha Vitória MPES apura suposta prática de rachadinha na Câmara de Vitória

MPES apura suposta prática de rachadinha na Câmara de Vitória

Órgão abriu procedimento para investigar se crime foi cometido no gabinete do vereador Armandinho Fontoura (Podemos)

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES) instaurou procedimento para apurar suposta prática de rachadinha no gabinete do vereador Armandinho Fontoura (Podemos). 

A prática consiste no repasse, por parte de um servidor público ou prestador de serviços da administração, de parte de sua remuneração a assessores.

Segundo a denúncia recebida pelo MPES, os funcionários do gabinete do parlamentar supostamente são obrigados a entregar para Armandinho "uma quantia em espécie de seus vencimentos que varia entre R$ 1 mil e R$ 3 mil".

"O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da 8ª Promotoria de Justiça Cível de Vitória, informa que instaurou procedimento preparatório para apurar o caso citado. Se constatadas irregularidades, serão adotadas providências previstas em lei", informou o órgão por meio de nota. 

A reportagem do Folha Vitória entrou em contato com a Câmara de Vitória, mas não teve retorno. A defesa do vereador também foi procurada, mas não respondeu a reportagem até a publicação desta matéria.

Últimas