Folha Vitória Plataforma gratuita de busca de trabalho autônomo levanta investimento pré-seed

Plataforma gratuita de busca de trabalho autônomo levanta investimento pré-seed

Mais de 50 mil pessoas por mês usam a plataforma Trapi para buscar e se aplicar para vagas de trabalho flexível no Brasil

Folha Vitória
Foto: Divulgação/DINO

A Trapi, startup criadora de uma plataforma gratuita para quem busca trabalho autônomo e flexível, acaba de receber uma rodada de investimentos pré-seed, que vai possibilitar que o negócio ganhe ainda mais escala. A captação contou com os fundos Bossa Nova Investimentos e Incubate Fund, que estão entre os maiores fundos de venture capital early stage – que investem na fase inicial das startups –,  na América Latina e no Japão.

Com o objetivo de criar conexão entre profissionais autônomos e empregadores, a plataforma estima que cerca de 50 mil pessoas já utilizam o serviço mensalmente. Segundo Indy Virmond, cofundador da Trapi, a procura pela plataforma vem do fato de ela resolver problemas de um público que ainda é mal servido. “Hoje, a informação disponível online sobre oportunidades de trabalho autônomo está fragmentada, pouco colaborativa e pouco confiável. A Trapi vem para mudar isso”.

Segundo ele, o valor investido vai contribuir para acelerar o crescimento da plataforma como um todo. “Esse aporte nos possibilita reforçar o time, com o objetivo de aprimorar nossa solução e nossa penetração no mercado alvo”, comenta.

Mauricio Omura, sócio da Incubate Fund Brasil, uma das investidoras dessa rodada, afirma que o interesse do fundo japonês pelo negócio vem do crescimento no mercado de gig workers no Brasil e a demanda de soluções para esse mercado. “A gente aposta em empreendedores capazes de trazer resultados para esse desafio. A Trapi já está atingindo resultados interessantes desde o lançamento e estou bastante animado com os próximos passos e planos futuros”, afirma. A Incubate Fund lidera um portfólio de mais de 224 empresas com ativos sob gestão de US$ 560 milhões, com escritórios em Tóquio, Cingapura, Bangalore, São Francisco e São Paulo. Esse é um dos primeiros investimentos do grupo no Brasil.

Para João Kepler, CEO e fundador da Bossa Nova, o potencial do modelo de negócio da startup conversa diretamente com a alta e inevitável digitalização dos negócios nos últimos anos. "O movimento que o digital gera mexe com as estruturas de como as pessoas pensam, se comportam, vivem e trabalham. Eu, como investidor, procuro produtos e experiências que as pessoas vão desejar no futuro, e a Trapi identificou um deles: a busca por um modelo de trabalho flexível", conta Kepler sobre os motivos que influenciaram o aporte da gestora, que é uma das pioneiras em pré-seed no mercado brasileiro.

Indy Virmond explica que, na visão da Trapi, o futuro da Gig Economy passa por garantir uma experiência de trabalho melhor aos profissionais do setor e a Trapi quer ser uma parte ativa nesse processo. “Nossa ideia é participar do crescimento da Gig Economy contribuindo para tornar o mundo do trabalho autônomo mais seguro, transparente e justo”, completa. 

Sobre a Trapi

A Trapi é uma startup que, em 2021, lançou uma plataforma especializada em vagas para profissionais em busca de trabalho autônomo e flexível. Os candidatos têm acesso gratuito para procurar vagas e trocar experiências entre si. As empresas pagam para anunciar suas oportunidades. Para mais informações basta acessar https://trapi.com.br/

Últimas