Folha Vitória Secretaria de Saúde do ES vai enviar SMS para quem precisa receber segunda dose de vacina

Secretaria de Saúde do ES vai enviar SMS para quem precisa receber segunda dose de vacina

Sesa também vai elaborar uma lista nominal semanalmente de pessoas que ainda não compareceram para receber o imunizante; são 16 mil que não voltaram para aplicação da Astrazeneca

Folha Vitória
Foto: pexels
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Mais de 16 mil capixabas não retornaram para receber a segunda dose da vacina da Astrazeneca, contra a covid-19. Por conta disso, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), prepara estratégias para que haja maior adesão.

"Estamos fazendo um sistema que vai enviar SMS aos que precisam tomar a segunda dose com uma semana de antecedência e um dia antes do prazo previsto", disse o secretário Nésio Fernandes, na manhã desta quarta-feira (09).

O secretário afirmou que a falta de adesão de algumas pessoas se dá pelo fato de algumas reações adversas que ocorreram após a aplicação da primeira dose. Para ele, há ainda aquelas que aguardam a liberação para receber uma nova dose de um fabricante diferente.

Leia também:
>> Mais de 50 mil doses de vacinas da Pfizer chegam ao ES; distribuição começa nesta quarta-feira
>> Adolescentes são vacinados contra a covid-19 em Vila Velha e prefeitura abre investigação

"Queremos que 100% das pessoas que receberam a primeira dose, recebam a segunda dose. Algumas pessoas ficaram com receio, devido às reações que foram apresentadas na segunda dose. O risco da segunda dose é estar mais protegido da covid. Quem espera autorização para a segunda dose em fabricante diferente, não há perspectiva sobre isso. Esquemas devem ser adotados e não há, por parte do Plano Nacional de Imunização, previsão para aplicar vacinas distintas", afirmou.

Lista nominal

Uma das estratégias definidas e trabalhadas pelo Programa Estadual de Imunização (PEI), da Secretaria da Saúde, é a elaboração de uma lista nominal semanalmente de pessoas que ainda não compareceram para receber a segunda dose.

A lista é encaminhada aos municípios sob a orientação de realizar a busca ativa dessas pessoas, por meio da atuação das equipes de atenção primária em saúde do território.

“É uma estratégia que visa a orientação e a garantia de recebimento da segunda dose a essa população que, por algum motivo, ainda não retornou para receber. É uma forma também de podermos concluir à imunização do público prioritário capixaba”, disse Danielle Grillo.

Além disso, segundo a Sesa, o programa realiza reuniões permanentes e semanais com as referências municipais de imunização para orientações sobre as estratégias a serem adotadas a cada etapa da campanha, como a ampliação dos pontos de vacinação e de mais agendamentos e vagas para a população.

Segunda dose

Mais de 16 mil capixabas não retornaram para receber a segunda dose da vacina contra a covid-19 produzida pela AstraZeneca. A informação é da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). 

Segundo a secretaria, todas essas 16.651 pessoas receberam a primeira dose do imunizante há mais de 12 semanas, que é o intervalo entre as duas aplicações, estipulado pelo laboratório de fabricação.

O levantamento foi feito com base nos dados nominais da população vacinada no período desde o início da campanha de vacinação contra a covid-19 no Espírito Santo, no dia 18 de janeiro deste ano, até o dia 13 de março — uma vez que, nesta última data, completou-se 12 semanas neste último domingo (06).

“É de total importância que a população que já tomou a primeira dose da vacina AstraZeneca e que esteja no prazo de 12 semanas ou mais desde a aplicação, que retorne ao serviço de saúde de seu município para a garantia da segunda dose. A complementação do esquema vacinal é o responsável por garantir a imunidade e os benefícios que a vacina tem contra a covid-19”, informou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo.

Segundo a coordenadora, o Estado mantém o envio aos 78 municípios capixabas, para a segunda dose da AstraZeneca, na 11ª semana após a data de distribuição da D1, garantindo assim às cidades e à população as doses em tempo oportuno.

“O Estado trabalha com a estratégia de envio sempre que completa 11ª semana após a distribuição da D1. Toda remessa que chega nós fazemos a organização para a distribuição de primeiras doses e também o que cabe às D2 naquele momento, para que esse processo ocorra sempre de maneira mais oportuna à população”, explicou Danielle Grillo.

Últimas