Cidades Home office: arquiteta dá dicas sobre cadeiras e mesas

Home office: arquiteta dá dicas sobre cadeiras e mesas

Em mais de um ano de pandemia, os trabalhadores que continuam no home office já constatam: o conforto físico é essencial. Mesmo assim, nem todos conseguem adaptar um espaço dentro de casa para isso, já que as complicações financeiras ainda são empecilhos. Contudo, a escolha da cadeira e da escrivaninha para atividades laborais são o […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio

Em mais de um ano de pandemia, os trabalhadores que continuam no home office já constatam: o conforto físico é essencial. Mesmo assim, nem todos conseguem adaptar um espaço dentro de casa para isso, já que as complicações financeiras ainda são empecilhos. Contudo, a escolha da cadeira e da escrivaninha para atividades laborais são o primeiro passo para trazer mais comodidade – e evitar dores musculares. Mas como escolhê-los?

Cadeira

Para a cadeira, a Profa. Ma. Bárbara Arnaud, dos cursos de Design de Interiores e Arquitetura e Urbanismo do Unipê, diz que a mais adequada é a que melhor se encaixa na coluna do usuário. Ela lembra que dores musculares, muitas vezes, são advindas da posição ou postura da pessoa e da falta de alongamento antes de trabalhar.

“Poucos percebem, mas a altura da mesa com relação ao braço do usuário e a altura da tela do computador são bastante importantes e influenciam diretamente na postura”, conta Bárbara. Nesse sentido, a ergonomia, que área da Arquitetura e Urbanismo que estuda conforto do usuário, aponta uma saída.

“Cada pessoa tem uma altura e um peso diferente da outra. Essas variantes antropófagas são condicionantes para as dores musculares quando utilizados os mobiliários inadequados. Não se pode elaborar uma cadeira e uma mesa específica para cada pessoa, por isso, algumas cadeiras têm um dispositivo para regular a sua altura”, sinaliza. Esses tipos de cadeiras são adequados para quem não tem problemas de coluna e outros semelhantes.

Dessa forma, ao pesquisar no mercado a cadeira, atente-se para a que melhor se encaixará na sua postura. Bárbara reforça pontos importantes para essa busca: 1. Verifique a altura da cadeira e da mesa para você; 2. Ajuste a altura da tela do computador – se necessário, coloque livros embaixo no notebook; 3. Alongue frequentemente a coluna, braços e mãos, levante-se da cadeira em períodos regulares e tenha uma boa postura. “Para quem sofre de escoliose, cifose ou lordose, aconselha-se comprar uma cadeira específica e investir na sua saúde”, recomenda.

Qual escrivaninha?

A mesa ou escrivaninha, que podem ser encontradas em todo lugar e com diferentes formates e cores, tem pontos fundamentais e determinantes para atingir a satisfação e ajudar no conforto. O primeiro diz respeito à dimensão desse móvel: as bancadas têm que ter profundidade de, no mínimo, 60cm. Do contrário, os braços do usuário ficarão para fora da mesa e sem apoio, o que dificultará o seu trabalho e machucará seu cotovelo e região próxima.

“O segundo ponto é referente à altura da mesa, que por padrão vem com 75cm de altura, mas se for ajustável e o usuário for uma pessoa alta, pode aumentar seu tamanho para se adequar à sua postura”, menciona Bárbara, que também é arquiteta e urbanista.

Simples e barata, a mesa elaborada com mão francesa (suporte) e placa de madeira é uma opção que ajuda a economizar. Adquirindo dois suportes com profundidade mínima de 50cm, aplique-as na altura desejada – isso ajudará na sua postura. Quanto a placa de madeira para essa função, o mercado já dispõe para venda as de pinus com 60cm de profundidade, sendo possível ainda encomendar um tampo de MDF. “Lembre-se: equipamentos com alturas reguláveis são mais fáceis de adaptar à sua postura do que cavaletes e pés pré-fabricados, que não permitem essa função”, pontua Bárbara.

Últimas