Cidades Jovem viraliza após ter que dirigir carro de motorista de aplicativo que foi pego no bafômetro

Jovem viraliza após ter que dirigir carro de motorista de aplicativo que foi pego no bafômetro

Nicole Leslie e as amigas estavam a caminho de uma festa no interior de São Paulo quando condutor foi parado pela polícia

  • Cidades | Maria Cunha e Melissa Venturini*, do R7

Resumindo a Notícia

  • Jovem viralizou no TikTok ao compartilhar que precisou dirigir carro de motorista de aplicativo.
  • Ela estava com duas amigas a caminho de uma festa universitária em Nova Odessa.
  • Condutor estava embriagado, errou o caminho algumas vezes e se recusou a seguir o GPS.
  • Após motorista ser abordado pela polícia, estudante teve que conduzir veículo até o destino.
Nicole Leslie estava indo com as amigas para uma festa universitária em Nova Odessa

Nicole Leslie estava indo com as amigas para uma festa universitária em Nova Odessa

Arquivo pessoal/Nicole Leslie

A história de uma jovem viralizou no aplicativo TikTok após ela compartilhar que precisou dirigir o carro de um motorista do aplicativo Uber, no qual ela era passageira, após ele ser pego no teste do bafômetro.

Tudo começou quando Nicole Leslie, de 21 anos, e as amigas saíram de Americana, no interior de São Paulo, a caminho de uma festa universitária em Nova Odessa, cidade próxima.

Em entrevista ao R7, ela conta que o condutor do veículo errou o percurso algumas vezes. Então Nicole e as outras meninas começaram a perceber que ele não estava seguindo o caminho sugerido pelo GPS.

"Como [a festa] era em outra cidade, ele tinha que pegar a estrada ou a rodovia. A gente estava no caminho e tinha que pegar uma saída para entrar na cidade e ir para a festa. Só que o uber errou esse caminho e acabou seguindo reto”, diz a estudante de jornalismo.

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

Preocupadas, as três começaram a mandar mensagem para outros colegas, que já tinham chegado ao evento. "Ele começou a parar em um lugar muito estranho. Estávamos em uma estrada e fomos para uma estrada de terra sem luz, sem nada. Ele começou a perguntar para onde a gente ia, porque ele conhecia um caminho por dentro, e fomos ficando nervosas."

Larissa Cassano, uma das amigas de Nicole que estavam no carro, também afirmou ao R7 que todas ficaram muito tensas. "Ficamos muito assustadas pela situação; afinal, éramos três mulheres sozinhas. Sempre estamos em risco, e já estávamos desconfiadas de ele querer desviar o caminho a qualquer custo."

Nicole, então, perdeu a paciência e pediu a ele que seguisse a rota mostrada no aplicativo. Ao tentar retornar, o motorista passou, por engano, duas vezes pelo pedágio. Foi a partir desse momento que a situação saiu do controle e, ao cruzarem com policiais, foi solicitado ao condutor que fizesse um teste de bafômetro.

"Quando ele fez o retorno, estava tendo uma blitz. Ele passou por uma policial militar, que falou: 'Olha, a gente está fazendo uma batida [policial], você tem que fazer o teste do bafômetro'. Aí ele disse: 'Mas precisa? Eu estou trabalhando'", relata Nicole.

O que elas não esperavam, porém, era que o procedimento desse positivo e, com isso, o homem não pudesse mais dirigir o veículo. Larissa afirmou que não esperava por isso, pois o motorista não apresentava sinais de embriaguez.

"Mesmo sendo pego pelo bafômetro, ele não aparentava estar alcoolizado, pois eu sempre costumo ficar atenta aos motoristas e à forma como dirigem", relata a jovem.

Ela ainda revela que o condutor não reagiu bem à abordagem. "Depois, ele ficou bravo, disse várias vezes: 'Estou trabalhando, estou só trabalhando', e não quis fazer o novo bafômetro porque ele sabia que poderia ser preso. Nem imagino a cena dele sendo preso e nós três ficando lá na pista".

Assim, duas opções foram apresentadas pelos oficiais: soprar novamente em outro aparelho e, caso desse positivo, ser preso e ter o carro apreendido, ou ser multado e deixar uma das passageiras assumir o volante até o destino.

Única do grupo com carteira de motorista em mãos, Nicole foi a escolhida para levar o carro até a festa. Ela então entregou os documentos aos policiais e fez o teste do bafômetro. "A policial perguntou se alguma de nós três dirigia. E eu dirigia, tinha até outra amiga que dirigia também — só que ela não poderia dirigir porque tinha bebido."

"Eu fiz o teste do bafômetro e até falei: ‘Mas, moça, se der positivo, eu não vou ser presa, né?' Ela falou: 'Não, você não está dirigindo, mas vamos fazer o teste porque você também não pode dirigir se estiver embriagada'", continua a estudante.

Após tudo ter sido checado e ela demonstrar estar apta a  conduzir o veículo, a jovem de 21 anos foi dirigindo até o evento, onde foi recebida pelos demais amigos com salva de palmas após a confusão.

Depois de todo o desespero, Stefanie Tudisco, a terceira passageira, refletiu sobre o ocorrido: "Foi meio desesperador, porque, se não tivessem parado ele, Deus me livre do que poderia ter acontecido com a gente".

"Não tínhamos noção do nível de bêbado que ele estava porque ele se recusou a fazer o segundo teste do bafômetro, então ele sabia que tinha bebido e sabia que tinha bebido bastante", conclui.

Ainda durante a festa, as meninas reportaram o ocorrido à Uber e, no dia seguinte, receberam o dinheiro de volta. "Nós denunciamos o motorista, demos uma estrelinha só e fizemos um comentário negativo. Agora ela foi ressarcida. Não teve que pagar essa corrida."

Nos comentários do vídeo, que já foi visto mais de 170 mil vezes, usuários fizeram brincadeiras com a situação. "Ele te deu 5 estrelas?”, perguntou uma pessoa. "Só queria entender: você pagou a corrida pra ele ou ele pagou pra você?", disse outra.

Em nota, a Uber lamenta o ocorrido e informa que esse tipo de comportamento configura uma violação ao Código de Conduta da Comunidade do aplicativo. A conta do motorista foi desativada da plataforma enquanto o resultado das investigações é aguardado.

* Sob supervisão de Daniel Pinheiro

Últimas