Cidades Mãe de menino de 8 anos chama Samu após filho fingir estar inconsciente para faltar à escola

Mãe de menino de 8 anos chama Samu após filho fingir estar inconsciente para faltar à escola

Segundo o diretor do Samu, o garoto só acordou no momento que ouviu que precisaria levar uma picada com a agulha no dedo

  • Cidades | Gabrielle Pedro, do R7

O Samu enviou um médico, um enfermeiro e um socorrista ao local

O Samu enviou um médico, um enfermeiro e um socorrista ao local

Reprodução/Instagram Samu Maringá

A mãe de um menino de 8 anos chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em Maringá, no norte do Paraná, desesperada logo após achar que o filho estava inconsciente. No entanto, o que ela não esperava é que o garoto  estivesse apenas tentando faltar à escola.

Ao R7, o diretor do Samu, Maurício Caetano, contou que a mãe ligou para a equipe por volta das 8 da manhã de sexta-feira (17) superdesesperada, pois estava havia quase uma hora tentando acordar o filho.

Uma equipe com médico, enfermeiro e socorrista foi enviada ao local. Assim que o médico viu os sinais vitais do menino, avaliou que não se tratava de nada grave, mas disse à mãe da criança que precisaria furar o dedo dele para descartar uma hipoglicemia, que é a baixa glicose no sangue.

Segundo Maurício, o menino abriu os olhos assim que soube que precisaria levar uma picada no dedo para realizar o exame.

Quando questionado pela equipe médica, o menino disse estar bem e que apenas não conseguia abrir os olhos para ir à escola.

O médico afirmou que é comum o Samu ser chamado para ocorrências que não possuem caráter de urgência e disse que isso pode atrapalhar o trabalho da equipe. "Importante ressaltar que os trotes atrapalham e ocupam uma equipe que pode faltar para atendimento a uma pessoa que realmente precisa, levando até à morte por não ser atendida a tempo", relatou.

Últimas