MPF denuncia Gilberto Carneiro em investigação do ‘Jampa Digital’

O ex-secretário de Administração de João Pessoa, Gilberto Carneiro da Gama, foi

O ex-secretário de Administração de João Pessoa, Gilberto Carneiro da Gama, foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por envolvimento em um suposto esquema de corrupção no ‘Jampa Digital’, programa de convergência social e inclusão digital criado na gestão de Ricardo Coutinho como prefeito. A ideia era levar internet gratuita e sem fio às praças públicas da cidade. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (26) no programa Correio Debate, da Rádio Correio 98 FM.

De acordo com a denúncia, Gilberto Carneiro deve responder por peculato e lavagem de dinheiro. O documento, assinado pelo procurador Victor Carvalho Veggi, pontua que cerca de R$ 3,4 milhões foram desviados do Jampa Digital. Além de Gilberto Carneiro, foram denunciadas outras nove pessoas:

Thiago Menezes de Lucena Claudino Dilson José de Oliveira Leão Francisco Adrivagner Dantas de Figueiredo Cristiano Galvão Brochado da Silva Mário Wilson do Lago Júnior Paulo de Tarso Araújo Souza Celso da Silva Santos Francisco Antônio Caminha José Antônio Caminha

O Portal Correio não conseguiu contato com os investigados. A redação disponibiliza o e-mail redacao@portalcorreio.com.br para posicionamentos de advogados de defesa.

Jampa Digital

As suspeitas de corrupção envolvendo o Jampa Digital vieram à tona em 2012. Um relatório da Controladoria Geral do Município denunciou que o Jampa Digital nunca chegou a funcionar de fato, devido aos desvios de verba. Os recursos, segundo as investigações, ajudaram a financiar a campanha de Ricardo Coutinho a governador da Paraíba.

O caso ganhou ainda mais repercussão com a morte do servidor da Prefeitura de João Pessoa Bruno Ernesto. Ele foi assassinado em 7 de setembro de 2012 e, inicialmente, o crime foi tratado pela polícia como latrocínio. Depois, uma investigação passou a apurar se o crime havia sido cometido porque Bruno Ernesto teria conhecimento sobre o suposto esquema criminoso. Ricardo Coutinho chegou a ser alvo da investigação, mas a Justiça entendeu que não havia elementos que justificassem uma denúncia e arquivou o processo.