Cidades Piloto boliviano é preso ao tentar sequestrar a própria filha no Brasil

Piloto boliviano é preso ao tentar sequestrar a própria filha no Brasil

Suspeito é acusado de sequestrar criança em Sinop, onde a menina morava com a mãe; os dois disputam a guarda na Justiça

  • Cidades | David Murba, da Real TV Sinop, filiada da Record TV

Resumindo a Notícia
  • Piloto de avião boliviano Jaime Jorge Pericon Arredondo, de 31 anos, foi preso.

  • Ele é acusado de sequestrar a própria filha, de 4 anos, em Sinop (MT).

  • Suspeito percorreu quase 700 quilômetros do ponto do sequestro, até sua localização e captura.

Menina morava com a mãe no Mato Grosso

Menina morava com a mãe no Mato Grosso

Reprodução

O piloto de avião boliviano Jaime Jorge Pericon Arredondo, de 31 anos, foi preso por policiais do Gefron (Grupo Especial de Segurança na Fronteira), na cidade de Cáceres, região de divisa entre Mato Grosso e Bolívia. Ele é acusado de sequestrar a própria filha, de 4 anos, em Sinop (MT), onde a menina morava com a mãe, e tentar levá-la para o país vizinho.

O suspeito percorreu quase 700 quilômetros do ponto do sequestro até sua localização e captura. A caçada ao homem começou na noite de quinta-feira (11), quando Jaime saiu de Santa Cruz de La Sierra, e disse para a ex-esposa, Suelen Petri, de 25 anos, que queria marcar um encontro para rever a filha. Era um plano para sequestrar a garota e levá-la para seu país.

Jaime e a mãe da criança tiveram um relacionamento por quatro anos. Eles encontraram em um restaurante, em uma área nobre da cidade, com o pretexto de pai e filha se verem, mas em um momento de distração da mãe, o homem agarrou a menina e deixou o local, sem dar nenhuma explicação. Na Justiça, os dois disputam a guarda da garota.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

“Eu estava sentada e eles [pai e filha] no parque brincando, no que me virei para pedir a comida, ele sumiu com a menina, simplesmente desapareceu. Não tenho nenhuma notícia. Tentei ligar, entrei em contato com conhecidos, mas ninguém tem a localização”, relatou, em prantos, Petri, antes da localização da filha.

Segundo Suelen, Jaime praticava tortura psicológica enquanto os dois eram casados e moravam na Bolívia. Ela tentou denunciar o caso no Brasil, mas como o crime foi em outro país, as investigações não seguiram. “A polícia não poderia me amparar aqui, como ocorreu fora. No Brasil, nunca fez nada. Eu nunca esperei que ele pudesse fazer uma coisa dessa [sequestrar a filha]".

Suelen saiu de Sinop e para a região de fronteira, buscar a filha que está aos cuidados das autoridades locais.

Últimas