Cidades Polícia pede nova prisão de pai acusado de espancar filho em MS

Polícia pede nova prisão de pai acusado de espancar filho em MS

Homem detido e solto no fim de semana disse 'vou te bater mais' em vídeo gravado por ele e que mostra filho ensanguentado

  • Cidades | Do R7

A polícia de Mato Grosso do Sul pediu a prisão preventiva do pai acusado de espancar o próprio filho, de 3 anos. Um vídeo mostra o garoto com sangue escorrendo pelo nariz e chorando, enquanto o pai afirma que iria "bater mais" no garoto e pede que ele tire a calça. As imagens viralizaram e provocaram comoção em Ponta Porã, onde a família reside.

O vídeo foi feito pelo próprio pai do garoto, e depois ele decidiu apagar o arquivo. A mãe da criança, no entanto, conseguiu recuperar as imagens e as enviou a parentes, que denunciaram o caso à polícia.  

Imagem de vídeo que mostra menino com sangue pelo corpo

Imagem de vídeo que mostra menino com sangue pelo corpo

Reprodução

O homem foi detido no último sábado (25), mas solto na segunda-feira (27) pelo juiz plantonista, que entendeu não haver elementos de prisão em flagrante em razão do horário de gravação do vídeo e o momento da prisão. O suposto agressor agora encontra-se em lugar incerto.

Ainda assim, a polícia pede que seja decretada a prisão preventiva. Segundo a delegada Analu Lacerda Ferraz, que investiga o caso no 1º DP de Ponta Porã, o vídeo deixa clara a agressão, uma vez que o pai chega a afirmar "eu vou te bater mais". Além disso, irmãos da criança afirmaram a psicólogas que "ele bateu e tirou sangue" e "ele sempre bate na gente".

A delegada informou que o pai disse que a criança estava sangrando porque tinha caído. "Ele alega que a criança caiu, mas das quatro crianças no imóvel, três estavam machucadas. Fiz um auto de constatação com fotografias das lesões e encaminhei o vídeo para a Justiça para que ao avaliar a situação não haja dúvida", afirma.

A criança agredida e seus irmãos estão com parentes em outra cidade e sob supervisão do Conselho Tutelar de Ponta Porã.

Últimas