Cidades Protesto de caminhoneiros para o trânsito na rodovia Anchieta, em SP

Protesto de caminhoneiros para o trânsito na rodovia Anchieta, em SP

Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte, e Presidente Dutra, ligação entre capital paulista e o Rio de Janeiro, também têm pontos de manifestação

rodovias

Caminhoneiros bloqueiam rodovias após aumento de diesel

Caminhoneiros bloqueiam rodovias após aumento de diesel

Reprodução Record TV

Um protesto de caminhoneiros contra o aumento do preço do diesel interrompe totalmente o tráfego de veículos na rodovia Anchieta (SP-150), que liga São Paulo ao litoral do Estado, na manhã desta segunda-feira (21).

Às 6h25, a manifestação ocorria na altura do km 64 da estrada. As informações são da concessionária que cuida do sistema Anchieta-Imigrantes. 

A rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-248), entre o Guarujá (SP) e o litoral norte de São Paulo, também está completamente interditada pelos manifestantes, na altura do km 5, segundo a concessionária que administra o trecho.

A Imigrantes tem tráfego normal em ambos os sentidos.

Ligação São Paulo-Belo Horizonte

Também há manifestação na rodovia Fernão Dias, que liga a capital paulista à capital mineira.

De acordo com informações da concessionária que administra a rodovia, há tráfego lento no km 618 e km 617, no sentido Minas Gerais, devido a protestos de caminhoneiros. Já entre os kms 513 e 510, a interrupção é completa em ambos os sentidos.

Ligação São Paulo-Rio de Janeiro

A rodovia Presidente Dutra tem pontos de lentidão provocados por protestos, mas a via não está interditada. Na altura de Pindamonhagaba, no km 101, no sentido São Paulo, os manifestantes ocupam uma faixa, mas os demais motoristas podem passar pela pista da esquerda.

Em Jacareí, no km 159, no sentido Rio de Janeiro, os manifestantes não liberam a circulação de caminhões, somente de veículos de passeio. Já no km 162, no sentido Rio, apenas o acostamento está interditado. 

Ligação São Paulo-Curitiba

A rodovia Régis Bittencourt apresenta tráfego lento do km 68 ao 67, em Campina Grande do Sul, no Paraná, devido a manifestação, segundo a concessionária que administra a via.

Porto de Santos

De acordo com a assessoria do Porto de Santos, o reboque de um caminhão bloqueia o acesso ao Porto na rua do Adubo, em Guarujá. A outra entrada, situada no município de Santos, não apresenta congestionamento até as 8h desta segunda-feira.

Manifestações pacíficas

No último domingo (20), em nota, a Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros) cobrou "manifestações pacíficas e sem interrupção das rodovias do país" aos motoristas.

No comunicado, o presidente da entidade, José da Fonseca Lopes, expressou "preocupação para que estas manifestações ocorram de forma pacífica e, principalmente, tranquila. Não precisamos fechar estradas, colocar fogo em pneus ou até mesmo pôr em risco o patrimônio de terceiros. Portanto, venho, mais uma vez, reiterar que a ABCAM, entidade formada pelas federações dos Estados de SP, SC, RS, RJ, MG e PE e por sindicatos espalhados por todo o território nacional, defender uma manifestação onde todos permaneçam em suas casas ou, no caso daqueles que estejam em trânsito, parem em locais seguros e não participem de eventos que coloquem em risco o patrimônio alheio, nem bloqueem rodovias ou praças de pedágio".