Cidades Risco de segunda onda exige cuidados reforçados contra coronavírus

Risco de segunda onda exige cuidados reforçados contra coronavírus

Usar máscaras, lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool

Portal Correio

Usar máscaras, lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel e preservar o distanciamento social são as práticas que podem evitar a propagação da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Na realidade paraibana, seguir essas recomendações pode ajudar no combate de uma possível segunda onda da doença.

Leia também:

Diminuição dos casos de coronavírus na PB pode ser queda de testagem Mortes por coronavírus crescem em proporção menor na PB, diz pesquisa

Em Campina Grande, a Secretaria de Saúde informou que já vem promovendo uma série de estudos com projeções para uma eventual segunda onda. Segundo o médico Miguel Dantas, diretor de Vigilância  à Saúde do Município, a ideia é intensificar as ações que ajudaram a cidade a superar a fase mais aguda da contaminação.

Enquanto a comunidade científica permanece realizando estudos para a descoberta da vacina contra o vírus, as pessoas precisam continuar fazendo sua parte. Idosos, gestantes e pessoas com comorbidades fazem parte do grupo de risco e precisam ter um cuidado redobrado com a doença, buscando evitar complicações na saúde.

As autoridades recomendam que as pessoas continuem seguindo os protocolos. Há também um consenso de que o poder público precisa intensificar as campanhas de alerta e conscientização da população, que já demonstra um preocupante nível de relaxamento em relação ao perigo.

Campina Grande adota fases de flexibilização da quarentena, com a reabertura gradual da economia. Apesar disso, a Secretaria Municipal de Saúde orienta sobre a importância de se continuar mantendo as medidas de higiene, o uso de álcool em gel da máscara em locais públicos.

Em casos de sintomas como febre, tosse seca, cansaço e dores de cabeça, a Secretaria de Saúde de Campina Grande orienta que as pessoas devem procurar imediatamente uma unidade de saúde próxima à sua casa. “Ficar em casa pode ser entediante e um pouco difícil, mas para os que podem permanecer em isolamento social, é uma das maneiras de se evitar a disseminação do vírus”, informou.

Últimas