Cidades Mais de 5.500 pessoas morreram nas rodovias federais em 2023, maior número em seis anos

Mais de 5.500 pessoas morreram nas rodovias federais em 2023, maior número em seis anos

Dado representa alta de 3,34% em relação ao ano anterior; estados que tiveram mais acidentes foram MG, SC e PR

  • Cidades | Emerson Fonseca Fraga, do R7, em Brasília

Resumindo a Notícia
  • O total de acidentes e a quantidade de feridos também aumentaram no ano passado.

  • Estados da região Norte do país tiveram os menores números absolutos de acidentes.

  • Alta velocidade e falta de atenção estão entre fatores que contribuem para colisões.

  • O Brasil tem mais 67.000 km de estradas federais.

Em 2023, 5.621 morreram nas estradas federais

Em 2023, 5.621 morreram nas estradas federais

PRF — Arquivo

O número de mortos em acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras em 2023 foi o maior dos últimos seis anos, aponta levantamento da PRF (Polícia Rodoviária Federal) enviado ao R7. A soma de vidas perdidas chegou a 5.621, o que representa um aumento de 3,34% em relação ao registrado em 2022.

O total de acidentes também subiu: foi de 64.547 para 67.658 — alta de 4,82% em relação ao ano passado. A quantidade de feridos aumentou 7,33% em comparação a 2022: passou de 72.971 para 78.322. Confira a série histórica:

O estado que registrou mais acidentes em 2023 foi Minas Gerais — foram 8.988 somente nas estradas federais. Em seguida, aparecem Santa Catarina, com 7.791 registros, e Paraná, com 7.085 batidas. Os menores números absolutos de acidentes foram registrados no Amazonas (105), no Amapá (144), em Roraima (144) e no Acre (225).

Prevenção de acidentes

O coordenador-geral de Segurança Viária da PRF, Jeferson Almeida, alerta que "os acidentes nas estradas ocorrem, na maioria das vezes, por alta velocidade, ultrapassagens irregulares e falta de atenção humana, e são agravados por fatores como a falta de cinto de segurança e o uso do capacete para motociclistas".

O policial rodoviário federal dá dicas para evitar acidentes, principalmente, em períodos de estradas cheias, como o Carnaval. "Pedimos ao motorista que ele tenha bastante cuidado e atenção ao trafegar pelas rodovias. Respeite a sinalização, mantenha distância do veículo que vai na frente e tenha sempre uma conduta que mostre preocupação com o bem-estar dele e das pessoas que trafegam próximas."

Almeida ressalta que o motorista parado em blitz deve manter a calma e parar o automóvel de imediato. "Se está com o veículo irregular, o correto é não pegar a estrada. Caso pegue a estrada com alguma irregularidade de trânsito e for abordado, deve parar imediatamente, porque, se não para, coloca em risco a vida dele e dos policiais envolvidos, que precisam dar início a uma abordagem diferenciada", avisa.

O agente da PRF alerta para o perigo da mistura de direção e bebida. "Se a pessoa sair para beber, deve deixar o carro em casa. Não pode sair para consumir bebida alcoólica dirigindo de forma alguma."

Segundo ele, é preciso ao menos "uma boa noite de sono" para o organismo se recuperar quando há ingestão de bebida alcoólica. "O tempo necessário para o corpo se recuperar do álcool varia de pessoa para pessoa, depende do organismo, da massa corporal, mas recomendamos que a pessoa descanse, se hidrate e durma bem antes de pegar o volante", diz Almeida.

Conservação das rodovias

O Brasil tem 67.612 km de estradas federais, segundo a Pesquisa CNT de Rodovias 2023. O levantamento mostra que 37,1% da extensão da malha federal estão em estado de conservação bom ou ótimo, e que 62,9% das estradas estão em estado regular, ruim ou péssimo.

Últimas