Testemunhas relatam pânico e correria após queda de prédio no CE

Corpo de Bombeiros diz que há pessoas soterradas e pelo menos uma vítima já foi retirada dos escombros. Queda aconteceu na manhã desta terça (15)

Prédio desabou em Fortaleza

Prédio desabou em Fortaleza

Reprodução Redes Sociais

"Na hora foi uma explosão enorme, não sabíamos se era algum gás de cozinha ou outra coisa", conta a atendente Samanta Almeida, que estava a poucos metros do prédio que desabou por volta das 10h30 desta terça-feira (14), em Fortaleza.

Pouco depois da queda, pessoas que estavam no estabelecimento onde Samanta trabalha saíram correndo pela rua para saber o que havia acontecido. Minutos depois, viaturas do Corpo de Bombeiros chegaram no local.

A costureira Lindalva Moreira, 64 anos, trabalha há 25 anos em um ateliê que fica bem ao lado do prédio. No momento da queda, ela afirma que saiu correndo para rua pensando que o local onde ela trabalha que estava desabando.

De acordo com Samanta, o prédio que desabou é antigo e não tinha nada que o destacava na vizinhança. O prédio ficava ao lado da loja de roupa Kaia. 

Lindalva afirma que, devido ao tempo que trabalha no local, "atendia muitas pessoas que morava no prédio", mas agora está abalada demais para tentar lembrar contato de alguém.

Uma recepcionista de um escritório de contabilidade vizinho ao prédio disse que "tinha comentado que esse prédio é muito antigo, mas você nunca imagina [a tragédia]".

A funcionária afirma que o prédio "sempre custuma ter muita gente, inclusive crianças e idosos". A recepcionista diz que "só de imginar a quantidade de famílias que estão ali embaixo desses escombros já dá tristeza".

Arte R7

No momento da queda do prédio, a mulher afirma que correu para trás do escritório, em pânico. Quando olhou para rua, viu que um mercadinho local também havia sido atingido pelos escombros.

A princípio, as informações oficiais não apontam outros estabelecimento atingidos. O Corpo de Bombeiros confirmou um morto e duas pessoas feridas, e ainda diz que há mais pessoas nos escombros.