Cidades Urna Eletrônica 25 anos: mesário de 90 anos defende voto eletrônico contra a fraude

Urna Eletrônica 25 anos: mesário de 90 anos defende voto eletrônico contra a fraude

A cada eleição, são necessários cerca de dois milhões de mesários para auxiliar nos trabalhos da Justiça Eleitoral em todo o país. Seja por convocação ou de forma voluntária, a figura do mesário é fundamental para garantir o exercício da cidadania. Além de ajudar a organizar as seções eleitorais e receber os eleitores no dia […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Foto: Reprodução/TSE

A cada eleição, são necessários cerca de dois milhões de mesários para auxiliar nos trabalhos da Justiça Eleitoral em todo o país. Seja por convocação ou de forma voluntária, a figura do mesário é fundamental para garantir o exercício da cidadania. Além de ajudar a organizar as seções eleitorais e receber os eleitores no dia da votação, eles atuam como testemunhas da importância do voto automatizado, que completa 25 anos. 

Entre os milhares de cidadãos que acompanharam a evolução das eleições, está o entusiasmado ex-corretor de imóveis Hermenegildo Pereira Netto, que há mais de 40 anos doa parte do seu tempo para democracia brasileira atuando como mesário.

Aos 90 anos, nem a pandemia da Covid-19 impediu Hermenegildo de atender, pela 26ª vez, o chamado da Justiça Eleitoral para participar das eleições como mesário, o que faz desde o início da década de 1980, no município de Praia Grande (SP).

Nas Eleições 2020, em todo o Brasil atuaram mais de 1,4 milhão de mesários, e em um dos maiores colégios eleitorais do país estava o senhor Hermenegildo, que ainda espera ser convocado para trabalhar no pleito eleitoral de 2022.

“Já estou vacinado contra a Covid e espero, no próximo ano, estar novamente contribuindo para a Justiça Eleitoral. Fico muito feliz de ajudar”, destacou o cearense de Iguatu, que chegou ao estado de São Paulo aos 16 anos. Ele ressalta a importância da modernização do sistema de votação e defende a utilização do voto eletrônico. 

“Não há como deixar de ter o sistema [urna eletrônica]. É um sistema garantido. Não tem motivo para fraude. Quem fala sobre isso não tem comprovação. Antigamente, nas apurações, se ficava a noite toda, quando era papel, e ali existia fraude. Já com a urna eletrônica não se tem fraude”, afirmou.

Recado para o eleitor 

Com a experiência de quem já passou por várias eleições, Hermenegildo Pereira ressalta que o equipamento garante que o brasileiro vote com total segurança. Mas não deixa de pedir que o eleitor tenha sempre consciência na mudança e desenvolvimento do país quando escolher seus candidatos.

“Acho que o eleitor brasileiro deveria pensar, desde já, que nós temos um ano e meio mais ou menos para que aconteçam as eleições, temos que pesar na balança o que vão apresentar os candidatos. Eu não sou político, não trabalho na política, trabalho para todos quando estou ajudando a Justiça Eleitoral. Cada um tem a sua opinião, mas vamos todos pensar no Brasil. Vamos torcer para as coisas melhorarem, que todos pensem bem”, alerta.

Últimas