5 regras de ouro para as finanças do casal

Organizar a vida financeira realmente não é uma das tarefas mais fáceis. Afinal de contas, as pessoas acabam não tendo a educação e nem o preparo suficiente durante sua formação para lidar com o dinheiro de uma forma mais saudável, evitando gastar mais do que ganha e controlando as entradas e saídas como se estivesse dentro de uma empresa, por exemplo.

E a dificuldade costuma ser ainda maior quando estamos falando de um casal. E isso acontece basicamente em virtude de termos duas pessoas que, mesmo que estejam alinhados em termos de sentimentos e objetivos, ainda são pessoas diferentes e podem acabar pensando no dinheiro de formas diferentes. 

Mas, mesmo sendo um desafio, este planejamento das finanças é ainda mais importante quando estamos falando de duas pessoas que se amam e que desejam ter um futuro juntas. A falta de dinheiro, ou problemas financeiros de uma forma geral, costumam ser um dos principais motivos para os problemas que surgem durante um casamento, mesmo que seja apenas quando duas pessoas estão morando juntas, mas ainda não formalizaram a relação.

Confira algumas das regras consideradas essenciais para que as finanças do casal sejam mantidas sempre em dia:

5 regras de ouro para as finanças do casal

5 regras de ouro para as finanças do casal

Click Grátis - Notícias

Falem sobre o tema

Veja também:

5 maneiras de investir com pouco dinheiro 5 métodos utilizados pelos japoneses para economizar dinheiro As 6 piores dicas de economia que alguém pode receber na vida

A primeira e mais importante dica, que vai levar aos demais passos, é que o casal realmente fale sobre dinheiro e sobre as finanças de uma forma geral. E isso deve acontecer independente da dinâmica do casal, seja se os dois trabalhem, ou apenas uma pessoa seja a provedora. O casal deve sempre conversar sobre o tema e as decisões devem ser tomadas em conjunto. 

Pode parecer básico, mas é grande a quantidade de casais que simplesmente não falam abertamente sobre suas finanças no dia a dia. Os motivos são os mais variados, desde aqueles que acreditam que falar sobre dinheiro quebre o “encanto” do amor, ou seja pelo fato de apenas uma pessoa achar que é a responsável pela grana que entra e sai. 

Crie uma reserva financeira

Ao longo da vida podem acabar surgindo os mais variados tipos de imprevistos. E eles são imprevistos justamente porque acontecem justamente em momentos nos quais as pessoas não esperam. E, para que seja possível enfrentá-los de uma forma mais saudável, é fundamental ter uma reserva financeira. 

Este é o dinheiro que vai proteger o casal caso ele tenha um gasto inesperado. Também pode ser muito útil caso exista uma perda de renda do casal, por desemprego ou algo do tipo. Uma boa reserva financeira pode ser construída com um simples cálculo: pegue tudo o que você gasta no mês (tirando as coisas superfulas) e multiplique por 6. Essa reservai vai permitir que a pessoa tenha este tempo de uma forma mais tranquila para conseguir resolver as pendencias. 

Se prepare para momentos cruciais

Existem alguns momentos que são considerados cruciais na vida de um casal e que costumam acabar fazendo com que as pessoas gastem uma grande quantidade de dinheiro. Por exemplo, o casamento, ou a chegada do primeiro filho. Para estes e outros casos, é muito importante que o casal comece uma preparação, guardando dinheiro para estes objetivos e programando datas para que eles aconteçam. 

Vale ressaltar que o dinheiro que será guardado para essas situações deve ser diferente daquele considerado como a reserva de emergência. Este deve ser tratado realmente, como o próprio nome diz, apenas para as emergências que possam surgir. 

Tenha ferramentas compartilhadas de organização e controle

Hoje em dia, com toda a tecnologia que temos a nossa disposição, se torna mais fácil organizar as finanças e acompanhar tudo em tempo real. Por isso, é muito importante que o casal comece, desde cedo, a utilizar estas ferramentas que podem ser compartilhadas. Pode ser desde uma simples planilha criada no Google Docs até aplicativos criados especificamente para este tipo de controle e que contam com versões que permitem o compartilhamento com mais de um usuário. 

Mas não basta apenas criar uma conta e baixar o aplicativo. É muito importante criar uma rotina na qual os dois coloquem todas as informações sobre entradas e saídas financeiras e consultem a situação de forma regular. 

Defina bem os papeis de cada nas contas do dia a dia

Mais uma vez, essa conversa nasce justamente a partir da necessidade de se falar sobre o tema. E isso vai depender da dinâmica do casal. Se a dupla decidir manter as suas contas separadas, será preciso definir bem o que cada pessoa ficará responsável por pagar. Caso todo o dinheiro vá parar em uma mesma conta, será preciso definir formas de controle para que o dinheiro não se perca em compras feitas sem a anuência dos dois. 

Últimas