Saiba como manter os filhos longe da dengue

Médica mostra cuidados e dá orientações para proteger as crianças

A melhor forma de proteger é eliminar os criadouros

A melhor forma de proteger é eliminar os criadouros

Pixabay

A melhor forma de proteger as crianças contra a dengue, zika e chikungunya é acabar com o mosquito Aedes aegypti. “Eliminar os criadouros é fundamental, mas podemos prevenir as picadas dos mosquitos com o uso de roupas com mangas longas e calças compridas, instalar telas e mosquiteiros em portas e janelas, e usar mosquiteiros nas camas e berços. O uso de perfume pode atrair insetos e eles devem ser evitados em crianças. Os repelentes elétricos podem diminuir a entrada dos mosquitos quando colocados próximos das janelas e portas”, orienta a médica infectologista pediátrica do Complexo Hospitalar Niterói (CHN), Julienne Martins (CRM: 5272488-2).

Com crianças menores de 2 anos, o cuidado deve ser redobrado, já que podem não apresentar sintomas ou apresentar sintomas inespecíficos que ocorrem em outras síndromes febris virais. “Dessa forma, o início da doença pode passar despercebida e o quadro mais grave ser identificado como a manifestação inicial da doença. O agravamento da doença é mais súbito na criança pequena com dengue do que nos adultos, por exemplo”, explica a médica.

Orientações

Segundo a pediatra, a partir dos 6 meses alguns repelentes já podem ser usados em crianças e os mais indicados até os 2 anos de idade são os que possuem IR3535. Já a partir dos 2 anos, os repelentes com DEET também estão liberados. “Dê preferência pela apresentação em loção cremosa, que é mais segura do que a apresentação em spray para as crianças”, recomenda.

Segundo a especialista, jamais aplique próximo da boca, nariz, olhos ou sobre machucados. “O intervalo das aplicações deve seguir as recomendações do fabricante. A frequência da aplicação em crianças não deve passar de três vezes por dia”, diz.