Bancos disponibilizam linhas de crédito para deficientes

Financiamento é direcionado para aquisição de bens e serviços que contribuem com o bem-estar e a promoção de maior inclusão social

Crédito é para itens de inclusão

Crédito é para itens de inclusão

Pixabay

Com intuito de disponibilizar mais acessibilidade para pessoas com deficiência, algumas instituições financeiras estão disponibilizando linhas de crédito para pessoas com deficiência. O financiamento é permitido para aquisição de bens e serviços que contribuem com o bem-estar e a promoção de maior inclusão social das pessoas com deficiência.

Leia mais: Comércio terá semana de descontos para o aniversário de São Paulo

Fábio Gallo, professor de finanças da FGV (Fundação Getúlio Vargas), diz que esse tipo de crédito é mais barato. "Essas linhas de crédito são preferenciais, portanto são mais baratas comparativamente do que as linhas abertas ao público no geral."

Gallo também comentou sobre os cuidados ao entrar nesse tipo de empréstimo. "Os cuidados que as pessoas devem ter ao tomar esses créditos são os mesmos de qualquer outro tomador de crédito. Só realizar operação de crédito se realmente for necessário. Comparar com outras alternativas. Colocar as prestações no seu orçamento e ao mesmo tempo buscar economias nas suas despesas para poder sair logo do endividamento e gerar algum grau de poupança."

Ricardo Teixeira, coordenador do MBA de Gestão de Financeira da FGV, completa dizendo que é preciso estar atento se o crédito pode ficar mais caro com o tempo.

"Analisar se existe algum tipo de reciprocidade exigida que possa fazer com que esse crédito fique mais caro que está aparecendo e se existe algum tipo de limitador que precise pensar a respeito para não se arrepender futuramente. Ficar atento ao custo efetivo total de cada operação. Só se usa crédito quando precisa."

Arte / R7

Banco do Brasil

De acordo com o Banco do Brasil, a linha Crédito Acessibilidade financiou em 2019 10.405 itens de tecnologia assistiva, como próteses, aparelhos auditivos e cadeiras de rodas.

A modalidade é voltada para pessoas físicas, correntistas do Banco do Brasil, com limite de crédito disponível e renda mensal bruta de até 10 salários mínimos. A instituição disponibiliza uma lista com mais de 300 itens que podem ser adquiridos a partir da linha de crédito.

O valor mínimo de financiamento é de R$ 70, com máximo de R$ 30 mil. O prazo de pagamento é de 4 a 60 meses, com as taxas variando entre 0,41% a 0,45% ao mês. As prestações são debitadas automaticamente na conta corrente.

O BB (Banco do Brasil) informou que São Paulo foi o estado brasileiro que mais utilizou a linha de crédito, ao contabilizar 3.816 operações, totalizando R$ 34.182.883,74.

Para mais informações acesse o site do banco.

Santander

A modalidade está disponível apenas para correntistas do banco. Assim como o BB, no Santander o financiamento é permitido para equipamentos destinados a acessibilidade como cadeiras de rodas, aparelhos auditivos, órteses, próteses, andadores, adaptações em imóvel residencial e veículos, entre outros produtos de tecnologia assistiva.

Para contratar o empréstimo, o cliente deve procurar um fornecedor, solicitar o orçamento e levar até a agência. O prazo é de até 48 vezes com taxas a partir de 1,95% ao mês. As parcelas são debitadas automaticamente.

O cliente deve encaminhar a Nota Fiscal do equipamento ou do boleto bancário vinculado ao CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) da empresa fornecedora do bem, acompanhado do pedido de compra em que conste a descrição do item adquirido, como forma de comprovar a destinação dos recursos.

Bradesco

No Bradesco a linha de crédito é destinada para clientes correntistas (pessoas com deficiência) e Pessoas Jurídicas interessadas em adquirir bens com características de acessibilidade. 

O prazo de pagamento do empréstimo é até 48 meses. A taxa do crédito é a partir de 2,56% ao mês. O valor varia de acordo com a capacidade de pagamento.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Ana Vinhas