Economia Black Friday: reclamações crescem 45% nas primeiras horas do evento

Black Friday: reclamações crescem 45% nas primeiras horas do evento

Até as 6h desta sexta-feira (27), 4.850 reclamações foram feitas. Maiores problemas são relacionados a propaganda enganosa

Agência Estado
Aglomeração e filas marcam o início da Black Friday no comércio da cidade do Recife, em Pernambuco, na manhã desta sexta-feira

Aglomeração e filas marcam o início da Black Friday no comércio da cidade do Recife, em Pernambuco, na manhã desta sexta-feira

ARTHUR SOUZA/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO - 27/11/2020

O site Reclame Aqui já registrou 4.850 reclamações na Black Friday, desde o início do monitoramento na última quarta-feira (25), até as 6 horas desta sexta-feira (27). De acordo com a plataforma o volume é 45% maior que o mesmo período do ano passado, com média de 115 reclamações por hora.

Leia mais: Consumidores veem preços subir antes da Black Friday

"Durante a madrugada foram registradas poucas reclamações, o que vem ao encontro do que os consumidores afirmaram na pesquisa de pré-Black Friday realizada pelo Reclame Aqui, onde cerca de 30% dos consumidores disseram que aproveitariam para comprar a partir das 18h de quinta-feira, e não o horário da madrugada", fala o site, em nota.

O marketplace de Lojas Americanas lideram as reclamações neste primeiro balanço, com 249 entradas no site, seguida por Kabum (164), Magazine Luíza (138), Casas Bahia (127), Submarino (117), Ame Digital (112), Lojas Renner (103), Lojas Americanas - loja online (100), Riachuelo (97) e Mercado Livre (68).

Os maiores problemas são relacionados a propaganda enganosa, com 28,17% das reclamações.

Últimas