Economia Brasil abre 136 mil vagas com carteira assinada em março

Brasil abre 136 mil vagas com carteira assinada em março

Embora positivo, o resultado corresponde à metade do número de fevereiro e é 11% menor em relação ao mesmo período de 2021

  • Economia | Do R7

Feirão de empregos em Porto Alegre que ofereceu cerca de 1.300 vagas em março

Feirão de empregos em Porto Alegre que ofereceu cerca de 1.300 vagas em março

EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO-17/03/2022

O Brasil gerou 136.189 postos de trabalho com carteira assinada em março, apontam dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Ministério do Trabalho.

É o terceiro resultado positivo consecutivo do mercado formal, fruto de 1.953.071 admissões e 1.816.882 desligamentos efetivados ao longo dos 31 dias do mês passado. Mas o número corresponde à metade das vagas criadas em fevereiro — 328.507 — e também é menor que o de janeiro, que teve 155.178 postos formais de trabalho. 

O resultado ficou atrás do mesmo período de 2021, quando 1.759.756 vagas de emprego com carteira assinada foram abertas.

Quatro dos cinco setores da economia criaram vagas no terceiro mês do ano: serviços (111.513), construção (25.059), indústria (15.260) e comércio (352). A exceção foi a agropecuária, que perdeu 15.995 postos formais.

No acumulado dos três primeiros meses de 2022, o Brasil tem saldo positivo de 615.173 admissões. O resultado decorre de 5.820.897 contratações e 5.205.724 desligamentos formais realizados no primeiro trimestre.

Com relação ao salário médio de contratação, houve novo recuo em março. O valor ficou em R$ 1.872,07, ante R$ 1.910,79 em fevereiro.

O governo também vem registrando aumento nos pedidos de seguro-desemprego. O número do mês ficou em 674.603 pedidos, ante 550.265 no mês anterior e 586.227 em março de 2021.

Apesar dos dados positivos, os números apresentados pelo Novo Caged têm se mostrado defasados após as atualizações realizadas pelos empregadores no sistema. Em 2020, as revisões mostram que foram cortados mais de 190 mil postos de trabalho com carteira assinada, diante de 142.690 contratações anunciadas inicialmente.

A expectativa do mercado era de uma desaceleração no ritmo de abertura de vagas formais em março deste ano. 

Últimas