Economia Brasil cria 394 mil vagas de trabalho em outubro, diz Caged

Brasil cria 394 mil vagas de trabalho em outubro, diz Caged

Ministério da Economia registra o quatro mês consecutivo em que país teve mais contratações do que demissões formais

  • Economia | Daniela Matos, da Record TV, e Giuliana Saringer, do R7

Houve 1,5 mi de contratações e 1,1 mi de demissões

Houve 1,5 mi de contratações e 1,1 mi de demissões

Adriano Ishibashi/FramePhoto/Folhapress - 30.10.2020

O Brasil criou 394.989 vagas com carteira assinada em outubro, segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Economia. Este é o quarto mês consecutivo que o país tem mais contratações do que demissões — veja no gráfico abaixo. 

O saldo é resultado de 1.548.628 admissões e de 1.153.639 desligamentos. No mesmo mês de 2019, foram criadas 70.852 vagas formais. 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o resultado de outubro foi o melhor da série histórica do Caged, iniciada em 1992. “Esse mês de outubro foi o mês em que geramos mais empregos na série histórica do Caged. Desde 1992, o Brasil não criava tantos empregos em um mês. Tivemos quase 400 mil empregos, 394 mil empregos. Então, a economia brasileira continua retomando em V, em um ritmo acelerado”, disse Guedes. 

Veja tabela com dados de janeiro a outubro deste ano:

Reprodução/ Ministério da Economia

Segundo o Ministério da Economia, "o desempenho reforça a retomada da economia brasileira após os efeitos econômicos gerados pela pandemia de covid-19".

O salário médio das contratações foi de R$1.691,92 em outubro. 

O resultado de outubro foi positivo nas cinco regiões do país, com destaque para o Sudeste, com a criação de 186.884 postos; e no Sul, 92.932 novas vagas. No Nordeste foram criados 69.519 empregos formais; no Centro-Oeste, 25.024; no Norte, 20.658 vagas.

Setor de serviços contratou mais

Em outubro, houve mais contratações do que demissões em quatro dos cinco grupamentos analisados pelo Caged.

O maior saldo ficou no setor de serviços (+156.766 postos), principalmente nas atividades de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (+103.443 postos). 

Em seguida, aparece o comércio; com destaque para reparação de veículos automotores e motocicletas (+115.647 postos), seguido de indústria geral (+86.426 postos), e construção (+36.296 postos). 

Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura foi o único Grupamento com saldo negativo em outubro (-120 postos). 

Resultado de 2020

De janeiro a outubro deste ano, o Brasil registrou 12.231.462 admissões e 12.402.601 demissões, resultando no fechamento de 171.139 vagas formais.

Os setores de serviços e comércio fecharam 268.049 e -231.245 vagas, respectivamente, de janeiro a outubro deste ano. Em contrapartida, houve criação de vagas na indústria, construção e agropecuária - com saldos de, respectivamente, 86.991, 138.409 e 102.911 empregos com carteira assinada. 

Últimas