Economia Brasil soma quase 26 mil tentativas de golpes virtuais por dia

Brasil soma quase 26 mil tentativas de golpes virtuais por dia

Usuários, que possuem mesmos direitos de quem compra em loja física, devem ficar atentos para não acabar caindo em fraudes

Consumidores devem se precaver de golpes para garantir boa experiência online

Consumidores devem se precaver de golpes para garantir boa experiência online

Image Source/Folhapress

Graças à comodidade e variedade de produtos, fazer compras pela internet se tornou parte do cotidiano de muitos brasileiros. Segundo o E-bit, as lojas de e-commerce (comércio eletrônico) faturaram, apenas em 2017, quase R$ 50 bilhões — um crescimento de 120% em seis anos.

Inicialmente, o comércio eletrônico era usado apenas para se comprar itens simples, como livros e DVDs. Hoje em dia, é possível encontrar na rede todo tipo de produto e serviço — de alimentos até carros de luxo. E, com esse aumento no valor dos negócios, também subiu o número de golpes mais sofisticados contra os consumidores.

Dados do DFNDR Lab, laboratório especializado em crimes virtuais, indicam que ocorreram mais de 56 milhões de tentativas de golpes e cyber-ataques por meio de links maliciosos no primeiro trimestre de 2018, apenas no Brasil. Isso equivale a mais de 26 mil tentativas de fraude por dia, ou 620 por hora.

Em datas como Dia dos Pais, Black Friday e Natal, em que há uma grande quantidade de pessoas realizando compras online, as incidências dessas tentativas aumentam.

De acordo com Sérgio Tannuri, advogado especializado em direito do consumidor, a maioria desses golpes se dá por meio de publicidades enganosas e falsas promoções. “Os hackers sempre querem uma coisa: tomar o dinheiro da vítima. Para isso, precisam dos dados bancários, CPF e número do cartão de crédito do internauta para aplicar o golpe. Portanto, antes de comprar online, verifique a reputação do fornecedor”.

— Eu sempre costumo avisar: verifique se o site informa um endereço comercial físico, com telefones fixos. Se não tiver, desconfie!

Atrasos

Outra reclamação frequente é o atraso ou falha na entrega dos produtos. Para evitar esse tipo de dor de cabeça, Sergio recomenda que o consumidor faça pesquisas em sites como E-bit e Reclame Aqui antes de efetuar a compra, para conferir reputação das lojas.

Também, caso haja algum problema no fornecimento do produto, a plataforma pública consumidor.gov.br pode ser uma ferramenta útil para a solução alternativa de conflitos de consumo via internet.

Os consumidores que realizam compras via internet possuem os mesmos direitos à informação e proteção transparente e eficaz que os garantidos nas demais formas de comércio tradicional.

Livro

Sérgio está lançando o livro Seus direitos no e-commerce, disponível gratuitamente na internet. O autor, que tem boas expectativas quanto ao lançamento, acredita que a cartilha pode ser uma valiosa ferramenta para o consumidor exercer seus diretos com mais propriedade – evitando, assim, golpes que lesam milhares de internautas.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Paulo Lima

    Access log