Economia Caixa bloqueia milhares de contas após suspeita de fraude no auxílio

Caixa bloqueia milhares de contas após suspeita de fraude no auxílio

Informação foi divulgada pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, nesta terça-feira (21). Suspensão foi meio de evitar ação de hackers

  • Economia | Do R7

Pedro Guimarães, presidente da Caixa

Pedro Guimarães, presidente da Caixa

José Dias/PR - 20.04.2020

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta terça-feira (21) que 'centenas de milhares' de contas movimentadas pelo Caixa Tem para o depósito do auxílio emergencial foram bloqueadas por suspeita de fraude. A afirmação se deu em entrevista ao portal InfoMoney.

Segundo o presidente da Caixa, o total de contas bloqueadas seria equivalente a 5% do total de aprovados e alcançaria “centenas de milhares de contas”, afirmou. A expectativa é que o benefício chegue a 66 milhões de pessoas. 

Guimarães explicou que hackers se aproveitaram em maio de falhas e de uma regra que valeu inicialmente e que permitia que diversas pessoas se cadastrassem por meio de um mesmo aparelho. Eles fraudaram o cadastro para tentar acessar o dinheiro.

Começa pagamento da 4ª parcela do auxílio de R$ 600 ao Bolsa Família

“Com a implementação rápida que tivemos que fazer para distribuir o auxílio lá no começo, sobraram algumas brechas de segurança. Em maio, em uma janela de dez dias, hackers acessaram milhares de contas. Identificamos todas e já corrigimos os problemas, mas pessoas honestas tiveram suas contas bloqueadas porque tivemos que salvar o dinheiro público”, disse.

O desbloqueio pode ser feito de forma simples, segundo o presidente do banco. Uma opção é comparecer a uma agência com um documento em mãos e comprovar que é a pessoa inscrita para receber o auxílio. A comprovação de identidade também pode acontecer pelo aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, mas pode haver uma lentidão no desbloqueio, segundo ele.

Em nota, a Caixa informou que o aplicativo Caixa Tem possui "múltiplos mecanismos integrados de segurança, mantendo-se inviolável e seguro", e que houve um baixo percentual de fraudes.

Últimas