Cargill diz ter registrado "alguns" casos de coronavírus em unidade em Uberlândia (MG)

COMMODS-CARGILL-COVID:Cargill diz ter registrado "alguns" casos de coronavírus em unidade em Uberlândia (MG)

Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - Uma planta operada pela norte-americana Cargill em Minas Gerais registrou casos de coronavírus, disse a empresa em comunicado à Reuters, sem detalhar o número de infectados.

"Confirmamos que tivemos alguns casos de Covid-19 na fábrica em Uberlândia (MG). Os funcionários receberam os devidos cuidados médicos e as pessoas que tiveram contato próximo foram notificadas individualmente e entraram em quarentena por 14 dias, conforme orientação da Organização Mundial da Saúde", afirmou a empresa.

A Cargill acrescentou que até o momento não sofreu interrupções em suas operações devido à pandemia do vírus.

O presidente do sindicato de trabalhadores da indústria de alimentos de Uberlândia, Humberto Ferreira, disse à Reuters por telefone que teve conhecimento sobre um empregado da Cargill diagnosticado com Covid-19.

Ele afirmou que o caso foi descoberto há cerca de três semanas e não impactou as operações da unidade. Ainda assim, todas pessoas que entraram em contato com o trabalhador infectado foram submetidas a uma quarentena para evitar a propagação da doença.

Ferreira disse que os trabalhadores afetados têm sido gradualmente autorizados a retornar ao trabalho na unidade. Ele também informou que a planta em Uberlândia emprega entre 1,3 mil e 1,4 mil pessoas.

A Cargill disse no final de abril que a pandemia de coronavírus representa um novo desafio para a companhia, que começou suas operações no Brasil em 1965.

"Vamos lidar com um cenário sem precedentes nas últimas gerações", disse o presidente da empresa no Brasil, Paulo Sousa, quando a empresa divulgou seus resultados financeiros. "Mas seguimos apostando no potencial, e fazendo nossa parte, em ter o Brasil como um fornecedor confiável de alimentos para o mundo", acrescentou o executivo na ocasião.

A Cargill processa soja e milho na unidade de Uberlândia para a produção de amidos e adoçantes. A planta também produz acidulantes, utilizados para fazer alimentos e bebidas.

Segundo Ferreira, do sindicato, a contaminação pelo novo coronavírus não aconteceu dentro da planta de Uberlândia.