Economia Com forte demanda chinesa, Brasil exporta recorde de carne suína em 2019, diz ABPA

Com forte demanda chinesa, Brasil exporta recorde de carne suína em 2019, diz ABPA

Reuters

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de carne suína do Brasil atingiram volume recorde em 2019, ano em que a forte demanda da China impulsionou o setor local de proteínas, mostraram dados divulgados nesta segunda-feira pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

De acordo com a ABPA, os embarques de carne de porco no ano passado totalizaram 750,3 mil toneladas, avanço de 16,2% em relação ao ano anterior, com uma receita de 1,597 bilhão de dólares (alta de 31,9%).

Dezembro registrou os maiores níveis mensais da história tanto em volume quanto em saldo, com 76 mil toneladas exportadas e 183,6 milhões de dólares em receita, acrescentou a entidade.

Os dados vêm em linha com os divulgados na quinta-feira pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Afetada por graves surtos de peste suína africana, que dizimaram sua enorme criação de porcos, a China foi o principal cliente do Brasil no ano, importando 248,8 mil toneladas de carne suína brasileira, um avanço de 61% ante 2018.

"A crise sanitária na Ásia reconfigurou o comércio internacional de proteína animal. A China, que foi a maior afetada, ampliou sua capacidade de importação de carne suína brasileira com a habilitação de novas plantas em novembro de 2019", disse em nota Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

"Este é um dos fatores que devem favorecer o aumento das vendas brasileiras em 2020", acrescentou.

A ABPA previu anteriormente um avanço de ao menos 15% nas exportações de carne de porco pelo Brasil em 2020.

None

(Por Gabriel Araujo)

Últimas