Com pandemia, Brasil fecha 860 mil postos formais de trabalho em abril

No mês, foram feitas 598.596 contratações frente a 1.459.099 demissões. O 'bimestre da pandemia' registra saldo negativo de 1,1 milhão de vagas

Dados foram divulgados pelo ministério nesta quarta

Dados foram divulgados pelo ministério nesta quarta

Adailton Damasceno/ Futura Press/ Estadão Conteúdo - 21.05.2020

O Brasil fechou 860.503 postos de trabalho com carteira assinada em abril deste ano, de acordo com os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os dados foram divulgados pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, nesta quarta-feira (27). 

Durante o mês de abril, o Brasil já enfrentava as medidas de isolamento social propostas pelos governos estaduais e municipais para conter a disseminação do coronavírus

O saldo é resultado de 598.596 contratações frente a 1.459.099 demissões no quarto mês do ano. O salário médio real de admissão no Brasil ficou em R$ 1.814,62 em abril.

Para efeito de comparação, em abril do ano passado, o país havia aberto mais vagas do que fechado (saldo positivo de 129.601 postos de trabalho), com 1.374.628 admissões e 1.245.071 demissões.

Em abril de 2020, São Paulo foi o estado com maior número de vagas formais fechadas (-260.902), seguido por Minas Gerais (-88.298), Rio de Janeiro (-83.626) e Rio Grande do Sul (-74.686).

De janeiro a abril deste ano, houve fechamento de 763.232 postos de trabalho, com 4.999.981 admissões e 5.763.213 demissões no país. No mesmo período de 2019, o Brasil abriu 313.835 novos postos, com 5.529.457 contratações e 5.215.622 demissões.

Bimestre da pandemia

Entre março e abril, os dois meses que mais impactaram a economia brasileira devido ao novo coronavírus, o Brasil criou 1.984.722 vagas formais. Por outro lado, os patrões mandaram embora 3.085.927 pessoas que tinham carteira assinada. Com isso, o saldo negativo da pandemia já está em 1.101.205 postos formais.