Economia Dólar salta 0,7% e vale R$ 5,30, maior patamar desde novembro

Dólar salta 0,7% e vale R$ 5,30, maior patamar desde novembro

Após intervenção do BC, alta da moeda foi impulsionada por protestos pró-Donald Trump no Congresso dos EUA

Reuters
Dólar oscilou entre R$ 5,23 e R$ 5,36 ao longo do dia

Dólar oscilou entre R$ 5,23 e R$ 5,36 ao longo do dia

Yuriko Nakao/Reuters

O dólar teve mais um dia de intenso vaivém nesta quarta-feira (6), fechando em alta depois de oscilar entre ganhos e perdas, com a pressão levando o BC (Banco Central) a fazer oferta extraordinária de liquidez para amenizar a volatilidade.

Na sessão, a moeda norte-americana subiu 0,74%, a R$ 5,3035 , voltando a ganhar tração no fim da tarde conforme os mercados pioraram o sinal diante de tensões relacionadas a protestos pró-Donald Trump no Congresso norte-americano.

Ao longo do dia, cotação do dólar variou entre R$ 5,3603 (+1,82%) e R$ 5,233 (-0,6%). Na B3, o dólar futuro tinha alta de 0,29%, a R$ 5,3085, às 17h01, oscilando US$ 12,65 de real entre a máxima e a mínima. É o terceiro pregão consecutivo de spread de mais de R$ 0,10, o que dá ideia do nível de instabilidade nos preços.

Analistas disseram que a moeda brasileira volta a sentir os efeitos do juro baixo, que tira do câmbio o amortecedor para eventos de maior estresse externo ou interno. A percepção de incerteza é aumentada pela perspectiva de mais um ano de fluxo cambial negativo, depois de o país ter perdido US$ 72,7 bilhões apenas nos últimos dois anos — sendo quase US$ 28 bilhões em 2020.

Últimas