Dólar salta 2% e vale R$ 5,70, maior patamar nominal da história

Quarta alta consecutiva da moeda norte-americana ocorre um dia após agência de risco revisar perspectiva para a nota de crédito soberano do Brasil

Dólar renovou maior cotação desde o Plano Real

Dólar renovou maior cotação desde o Plano Real

Pixabay

O dólar se valorizou pela quarta vez seguida ante o real nesta quarta-feira (6) e quebrou a barreira dos R$ 5,70 pela primeira vez desde a criação do Plano Real, em 1994.

No fechamento da sessão, a moeda norte-americana avançou 2,03%, a R$ 5,704, maior valor nominal da história. Na máxima do dia, a cotação da divisa foi a R$ 5,7072. Em 2020, dólar já acumula valorização de 42,13% ante o real.

O recordo ocorre um dia após a agência de classificação de risco Fitch Ratings revisar para "negativa" a perspectiva para a nota de crédito soberano do Brasil, com deterioração econômica e fiscal. A notícia impulsionou a aversão a risco nos mercados locais.

Novos dados mostrando um tombo recorde na atividade de serviços do Brasil também ajudaram a empurrar o dólar para cima, numa sessão já de fortalecimento da divisa norte-americana no mundo.

Bolsa

Na contramão do dólar, o Ibovespa fechou em baixa nesta quarta-feira, marcado por falta de apetite a risco e queda do petróleo no exterior, além de receios com o cenário fiscal no país, em meio a um ambiente ainda de incertezas com a pandemia do coronavírus. A perda, contudo, foi amenizada pela disparada de ações de ecommerce e ações de mineração e siderurgia.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,51%, a 79.063,68 pontos, após chegar a 79.996,04 pontos na máxima e recuar à 78.055,82 pontos na mínima. O volume financeiro somou R$ 21,8 bilhões.