Economia Dólar se aproxima de R$ 5 e Bolsa cai, com pressão da China e EUA

Dólar se aproxima de R$ 5 e Bolsa cai, com pressão da China e EUA

Preocupação com a inflação global e expectativas com reuniões de política monetária do Brasil e dos EUA também afetam

Agência Estado
Movimentação do principal índice de ações da B3, o Ibovespa

Movimentação do principal índice de ações da B3, o Ibovespa

Amanda Perobelli/Reuters-19/10/2021

Os mercados locais caíram na manhã desta terça-feira (26), acompanhando o exterior, onde as Bolsas de Nova York têm queda acentuada, com Nasdaq perdendo mais de 2% após os números da confiança do consumidor e vendas de moradias novas nos Estados Unidos piores do que o esperado.

O Ibovespa caía abaixo de 109 mil pontos, enquanto o dólar à vista subia mais de 2%. Há ainda como pano de fundo temor de desaceleração da China com a nova onda de Covid-19 e preocupação com a inflação global, a uma semana do início das reuniões de política monetária do Brasil e dos Estados Unidos que devem resultar em mais alta de juros.

Às 11h37, o Ibovespa caía 1,64%, aos 108.869 pontos. O Dow Jones perdia 1,05%, o S&P500 caía 1,53% e o Nasdaq recuava 2,55%. O dólar à vista tinha alta de 2,29%,a R$ 4,9872.

No Ibovespa, além da influência do mau humor em Wall Street, o mercado digere balanços, como o do banco Santander Brasil. O Safra considerou fracos os resultados do Santander no primeiro trimestre, impactados pelo aumento do custo do crédito e menor desempenho da NII (receita líquida de investimentos) em relação com a expectativa do mercado.

Ainda no front corporativo, o COO da Santos Port Authority (SPA, a administração do Porto de Santos), Bruno Stupello, disse nesta terça-feira que a expectativa é que o processo de desestatização da autoridade portuária ocorra ainda este ano.

Últimas