Economia brasileira deve encolher 3,76% em 2020, diz mercado

Projeção anterior era de recuo de 3,34% diante das paralisações provocadas pelas ações de isolamento para conter a disseminação do coronavírus

Selic deve chegar a 2,75%

Selic deve chegar a 2,75%

Pixabay

A expectativa do mercado para a economia brasileira é de recuo de 3,75% em 2020 pela paralisações provocadas pelas ações de isolamento para conter a disseminação do coronavírus, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo BC (Banco Central) nesta segunda-feira (4).

Projeção anterior era de encolhimento de queda de 3,34%. 

A perspectiva para a Selic foi abaixo de 3% e, para o dólar, chegou a R$ 5. 

Para 2021, entretanto, a projeção de crescimento subiu a 3,2%, de 3%.

A pesquisa semanal com uma centena de economistas mostrou ainda nova redução no cenário para a taxa básica de juros, com a Selic agora estimada em 2,75% ao final deste ano, de 3% antes. Houve redução também na expectativa para 2021, passando de 4,25% para 3,75%.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, ainda vê a Selic a 2,50% este ano e a 3,88% em 2021 na mediana das projeções.

A projeção para o câmbio voltou a aumentar, com o real agora estimado a R$ 5 neste ano, contra R$ 4,80 na semana anterior. A projeção para o ano que vem também subiu e foi a R$ 4,75, de R$ 4,55.

Para a inflação, houve redução pela oitava semana seguida, chegando a uma alta do IPCA estimada em apenas 1,97%, contra 2,20% visto antes. Para 2021 a inflação é calculada em 3,30%, de 3,40% no levantamento anterior.

O centro da meta oficial de 2020 é de 4% e, de 2021, de 3,75%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.