Economia Empresa cancela campanha com Neymar após acusação de estupro

Empresa cancela campanha com Neymar após acusação de estupro

Patrocinadora decide suspender projeto depois de jogador da Seleção brasileira ter sido alvo de acusações de estupro e agressão

Mastercard cancela campanha publicitária com atacante Neymar

Mastercard cancela campanha publicitária com atacante Neymar

Reuters/Ueslei Marcelino-05-06-2019

A Mastercard cancelou uma campanha publicitária que realizaria com o atacante Neymar durante a disputa da Copa América. A empresa, que realizaria diversas ações em que o jogador seria o garoto propaganda, decidiu suspender o projeto depois de o jogador da seleção brasileira ter sido alvo de acusações de estupro e agressão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais: Ruptura de ligamento no tornozelo tira Neymar da Copa América

A empresa confirmou oo jornal o cancelamento da campanha. "Nós temos uma série de ativações de marketing planejadas para o decorrer do campeonato que são focadas em promover o uso do pagamento por aproximação. Nós tomamos a decisão de parar aquelas ativações que incluem o embaixador da marca até que o assunto seja resolvido", diz o texto.

Veja também: Vídeo mostra momento da briga entre Neymar e modelo que o acusa

Uma imagem de Neymar em campanha pela Mastercard consta inclusive no guia oficial de imprensa produzido para a Copa América e distribuído para os jornalistas credenciados para a cobertura do torneio. No material, o jogador posa para foto vestido com uma camisa da marca. No material há também o escudo da CBF como a logomarca oficial da competição.

Veja ainda: Neymar e repercussão de suposto estupro são destaques no mundo

Outras patrocinadoras do jogador haviam manifestado preocupação com as denúncias sobre agressão e estupro oferecidas contra o atacante. A Nike se disse "profundamente" preocupada com o caso e disse que seguia de perto a situação. A Red Bull também se manifestou. "É de responsabilidade das autoridades públicas determinar os fatos reais por trás desta séria alegação", disse nota da empresa.