Economia Empresários dão dicas de como manter os negócios na quarentena 

Empresários dão dicas de como manter os negócios na quarentena 

Proprietários recomendam maior dedicação e criatividade nas redes sociais, agora que a audiência aumentou devido à quarentena

  • Economia | Mariana Ghirello, do R7

Empresários mantém negócios funcionando durante a quarentena

Empresários mantém negócios funcionando durante a quarentena

Pixabay

O início da quarentena deixou os empresários assustados com a possibilidade de queda ou até mesmo a paralisação nos negócios. Mas quem está se saindo bem neste momento desafiador, compartilha algumas dicas para sobreviver ao período. Vendas na internet e ações nas redes sociais dão folêgo para vários setores.

Leia mais: Empresários lançam movimento contra demissões por dois meses

A aposta de Guilherme Priante, CEO da Beyoung, empresa nativa digital de produtos de beleza, sempre foi a internet. A startup manteve e até conseguiu aumentar o ritmo de vendas, mesmo durante a quarentena aplicada contra a disseminação do coronavírus

Segundo ele, são vários os motivos que contribuíram para este sucesso. "O fato de sermos uma empresa que nasceu no digital, aliado a estratégias e ao conhecimento do comportamento das pessoas na internet, isso tudo certamente tem ajudado nesse momento", explica. Priante diz ainda que, durante este período, o consumo das mídias digitais se intensificou ainda mais. "O sucesso das lives (transmissões ao vivo) é um exemplo disso".

O CEO conta também que, mesmo na crise, as vendas cresceram 40%. "Entender que a estratégia - e não o desespero - deve falar mais alto nesse momento, isso pode fazer uma brutal diferença", reforça Priante. Os conteúdos e a comunicação da empresa passaram a estimular mais a interatividade e o engajamento, ajudando a difundir a importância do autocuidado e do bem-estar durante a quarentena.

"A preocupação com o cuidado está nas nossas origens, sempre enxergamos isso por uma perspectiva positiva. Muito mais que evitar complicações, cuidar das pessoas e de nós mesmos significa construir um futuro diferente. Essa é a nossa premissa como marca de skincare e como agente social diante do cenário que enfrentamos", conclui Priante.

Comida delivery

John Lenon, CEO da Chicken in House, também recomenda uma atenção especial nas redes sociais das empresas. "Com as pessoas em casa, as redes sociais estão com a audiência ainda mais potencializadas. Então, invista em posts, lives e parcerias para divulgar o seu negócio e alavancar as vendas por delivery", analisa.

O empresário conta que 80% da fraquia está fechada, as lojas abertas estão operando apenas pelo sistema de delivery. "Aumentamos o número de entregadores e tenho recomendado um maior cuidado com a segurança de todos, pois suas famílias estão em casa e eles acabam sendo muito expostos", ressalta.

Lenon defende acalmar os ânimos e reunir forças para superar este momento. "Não adianta questionar o governo, patrão, líder, etc. Esta crise é nova para todos. Então precisamos cuidar muito bem do corpo e da mente porque isso vai passar e precisaremos estar bem para reconstruir e ficaremos ainda mais fortes", pontua.

O empresário afirma que se for necessário, o ideal é negociar o aluguel com os proprietários dos imóveis e shoppings pelos próximos três meses. "Procure trazer facilidades para os franqueados ficarem mais tranquilos, no caso da Chicken in House, zeramos as cobranças de royalties pelos próximos 4 meses", reforça.

"Precisamos entender que empregadores e empregados precisam estar mais unidos do que nunca, ambos precisam do outro para a engrenagem não emperrar", finaliza.

Últimas