Economia Endividamento das famílias chega a 79%, mostra pesquisa da CNC

Endividamento das famílias chega a 79%, mostra pesquisa da CNC

A inadimplência, medida pela proporção de famílias que relataram ter dívidas em atraso, ficou em 29,6% do total

Entre as famílias endividadas, 19,4% recorreram a carnês e cartões de lojas do varejo

Entre as famílias endividadas, 19,4% recorreram a carnês e cartões de lojas do varejo

Freepik

A proporção de famílias brasileiras endividadas cresceu em 1 ponto porcentual na passagem de julho para agosto, para 79%, informou nesta segunda-feira (5) a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), ao divulgar a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor). Na comparação com agosto de 2021, a proporção de famílias endividadas cresceu 6,1 pontos percentuais.

A inadimplência, medida pela proporção de famílias que relataram ter dívidas em atraso, ficou em 29,6% do total de entrevistados, alta de 0,6 ponto ante julho. Já a proporção de entrevistados que informaram que não terão condições de pagar as dívidas em atraso, um sinal de permanência na inadimplência, ficou em 10,8%, 0,1 ponto acima do registrado em julho.

"A alta do volume de famílias com contas atrasadas deu-se nas duas faixas de renda pesquisadas, mas foi maior entre as famílias de menor renda, o que mostra os desafios que esses consumidores seguem enfrentando na gestão mensal de seus orçamentos", diz a nota divulgada pela CNC.

No caso da proporção de endividados - que considera qualquer tipo de dívida, incluindo o uso de cartão de crédito, mesmo que pago em dia -, o crescimento de agosto se deu no mesmo ritmo entre os mais pobres e os mais ricos.

"A melhora do mercado de trabalho e as políticas de transferência de renda mais robustas têm favorecido a renda das famílias nas faixas mais baixas, mas a inflação ainda elevada desafia o poder de compra desses consumidores", diz a CNC.

A Peic de agosto também identificou um aumento do uso dos carnês e cartões de parcelamento no varejo, em detrimento de instrumentos puramente financeiros. Entre as famílias endividadas, 19,4% recorreram a carnês e cartões de lojas do varejo, aumento de 0,5 ponto ante julho. O cartão de crédito segue como principal modalidade de endividamento, com 85,3% em agosto, mesma proporção de julho, mas 3,5 pontos percentuais abaixo do registrado em abril, desde quando vem caindo.

Últimas