Economia Ex-vendedor de picolé abre rede de curso de oratória e fatura R$ 12 mi

Ex-vendedor de picolé abre rede de curso de oratória e fatura R$ 12 mi

Franquia iniciou em Cravinhos, cidade com cerca de 35 mil habitantes, a 292 quilômetros de São Paulo, e hoje tem unidades espalhadas pelo país

Câmara tem 29 anos e é dono de uma franquia de cursos de oratória

Câmara tem 29 anos e é dono de uma franquia de cursos de oratória

Divulgação/Vox2you

Luis Fernando Câmara, 29 anos, é uma daquelas pessoas que nasceram com o espírito empreendedor.

Aos 11 anos, decidiu vender picolés pelas ruas de Cravinhos, cidade com cerca de 35 mil habitantes, a 292 quilômetros de São Paulo, para ter dinheiro e conseguir comprar um sanduíche.

“Estava jogando futebol com os amigos, fomos comprar lanche e quando cheguei ao bar, vi que não tinha dinheiro. Comecei a pensar em algo para ganhar.”

Começou a vender picolés por R$ 0,50 (desse total, R$ 0,20 era de lucro) e a adquirir a sua independência financeira.

Depois disso, Câmara também comercializou salgadinhos, foi instrutor de informática e não parou mais de empreender.

Antes de cursos, empresário teve farmácia

Em 2010, já com 20 anos de idade, criou a sua própria farmácia e começou a pesquisar referências que pudessem lhe servir como norte e inspiração.

Bateu de porta em porta atrás de histórias de empresários da sua cidade, mas não obteve sucesso.

“Eles não queriam compartilhar suas experiências e não eram receptivos. ”

O empreendedor decidiu procurar empresários brasileiros de sucesso, destaque na Revista Forbes, como Eike Batista e Jorge Paulo Lemann, para trocar ideias.

Mandou um e-mail despretensioso para ambos e teve boa receptividade. “Me atenderam muito bem e me deram várias dicas que carreguei a vida toda. Converso com o Lemann ainda hoje sobre vários assuntos”, comenta.

Pouco tempo depois, abriu uma empresa de vendas diretas com o amigo Junior Fernandez, 36 anos.

Em uma conversa com ele, decidiu abrir, cinco anos depois, a Vox2you, rede de escolas especializada em oratória, com o empresário Junior Fernandez, 36 anos.

O investimento do negócio foi de R$ 300 mil. Hoje fatura R$ 12 milhões por ano.

A rede começou suas operações em 2015 com 100 alunos. Em 2017, virou franquia.

Hoje a franquia tem 400 colaboradores, 15 mil alunos e conta com 90 unidades, uma delas é a sede própria.

A matriz fica em Ribeirão Preto (a 316,2 km de São Paulo).

Dessas, 32 unidades são de micro franquias que vendem cursos para realizar, normalmente, em hotéis. A maioria dos empresários desse modelo de negócio atua em home office.

Até o fim do ano, a previsão é de chegar a 120 unidades.

Confira as informações para abrir uma unidade da rede:

Vox2You (formato tradicional)
Investimento inicial: R$ 160 mil (inclui custo de instalação, taxa de franquia e capital de giro)
Faturamento médio mensal: entre R$ 70 mil e R$ 80 mil
Lucro médio mensal: entre R$ 25 mil e R$ 40 mil
Prazo de retorno do investimento: até 15 meses após abrir o negócio

Sense2Mind (microfranquia)
Investimento inicial: R$ 70 mil (inclui taxa de franquia e capital de giro).
Faturamento médio mensal: entre R$ 20 mil a R$ 40 mil
Lucro médio mensal: entre R$ 15 mil a R$ 25 mil
Prazo de retorno do investimento: até cinco meses após abrir o negócio

O preço dos cursos varia de R$ 300 a R$ 450 por mês, dependendo da região. Há opções de workshops rápidos que vão de R$ 1080 a R$ 5 mil.

Franquia de cursos de oratória tem pouca concorrência

Franquia de cursos de oratória tem pouca concorrência

O segmento de serviços educacionais registrou o segundo maior crescimento do mercado de franquias, com 8,7%.

Os dados fazem parte da pesquisa trimestral de desempenho do setor, desenvolvida pela ABF (Associação Brasileira de Franchising).

Fernanda Almeida, analista de negócios do Sebrae-SP ((Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo), diz que o mercado de franquias de cursos de oratória é pouco explorado no Brasil.

Com isso, tem pouca concorrência.

“É uma área que entra no segmento de franquias de educação e de capacitação, que está em forte expansão. Só perde para segmento de saúde, beleza e bem-estar”, diz Fernanda.

O setor, segundo ela, atente tanto o público que quer pleitear um novo trabalho quanto quem busca uma oportunidade melhor na carreira, por isso tem potencial.
Para atuar na área, Fernanda afirma que o ideal é que o empreendedor tenha desenvoltura para dar cursos.

“Mas se não tiver, também pode contratar um funcionário para fazer. É que, normalmente, os empreendedores de microfranquias assumem boa parte das operações no início do negócio. E isso pode ser um diferencial. ”

A especialista orienta os empreendedores a analisarem com cuidado a marca antes de comprar uma franquia. Entre as dicas:

• Qual a capacitação oferecida para o empreendedor iniciar o negócio;
• Faturamento médio mensal
• Tempo de retorno do investimento;
• Ouvir franqueados que já atuam na rede para conferir se eles conseguiram atingir o equilíbrio do negócio no tempo programado.