Economia Faturamento da indústria cai, e setor não cria vagas em setembro

Faturamento da indústria cai, e setor não cria vagas em setembro

Levantamento da CNI mostra que cenário econômico ruim do país e falta de insumos interromperam crescimento industrial

  • Economia | Do R7

Na comparação com 2020, o faturamento caiu

Na comparação com 2020, o faturamento caiu

Nacho Doce/Reuters

Um levantamento da CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostra que setembro trouxe dados ruins para a indústria, setor que vinha se recuperando ao longo de 2021.

A criação de empregos da indústria de transformação desacelerou, fechando setembro sem novas vagas criadas. Em agosto, o índice já era baixo, com elevação de apenas 0,1% no número de postos de trabalho em comparação com o mês anterior.

“O emprego vinha crescendo de forma intensa e contínua, já havia perdido ritmo em agosto e, em setembro, interrompeu a sequência de 13 meses consecutivos de altas”, explica o gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo.

Em todo o ano de 2021, o avanço é de 4,2% no número de vagas criadas. Em um ano, de setembro de 2020 a setembro de 2021, há 5% mais postos. 

O faturamento da indústria caiu 1,5% entre setembro e agosto. No ano, em relação a 2020, o dado está positivo, com 8,9% de aumento. Em doze meses, a queda é de 9,9%. 

Segundo o economista da CNI, o quadro negativo é decorrente da alta de juros, da inflação, da falta de insumos e da crise hídrica. “A economia continua em trajetória de normalização com o avanço da vacinação. A indústria poderia estar em melhor momento, mas essa série de problemas traz insegurança e trava a atividade”, diz Azevedo.

Os dados positivos do setor são a primeira elevação, desde janeiro, nas horas trabalhadas na produção (1,7% de avanço) e o crescimento de 0,2% da massa salarial real.

Últimas