Economia Francesa Voltalia vende fatia em parque eólico no Rio Grande do Norte para fundo Stoa

Francesa Voltalia vende fatia em parque eólico no Rio Grande do Norte para fundo Stoa

ENERGIA-EOLICA-VOLTALIA:Francesa Voltalia vende fatia em parque eólico no Rio Grande do Norte para fundo Stoa

Reuters - Economia

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica francesa Voltalia anunciou nesta quinta-feira a venda de uma fatia de 33% em seu parque eólico Ventos Serra do Mel III, no Rio Grande do Norte, para o fundo de investimentos em infraestrutura Stoa.

O complexo envolvido no negócio, que terá 152 megawatts em capacidade e está atualmente em construção, fechou a venda da produção futura à elétrica mineira Cemig em contratos de 20 anos, disse a Voltalia em comunicado.

O empreendimento no Nordeste será equipado com turbinas eólicas da Siemens Gamesa, com 3,5 megawatts cada, enquanto a WEG e a Seta Engenharia farão o balanço elétrico do parque, que terá a construção civil a cargo da DoisA Engenharia, segundo a empresa.

"As primeiras turbinas eólicas devem ser concluídas durante o quarto trimestre de 2020, com a operação a plena carga sendo atingida no segundo trimestre de 2021", disse a companhia, que manterá uma fatia de 57% nos empreendimentos.

Os parques ainda têm 10% de participação de um parceiro local não identificado.

A Stoa é um fundo de investimento francês especializado em projetos de infraestrutura em países em desenvolvimento e emergentes. Esse é o primeiro projeto do fundo na América Latina, após negociações iniciadas com a Voltalia ainda no ano passado.

"Essa parceria é uma boa ilustração de nossa estratégia, que mira o desenvolvimento de um grande volume de projetos competitivos com a ideia de trazer outros investidores para dentro, por meio de parcerias de longo prazo ou vendas", comentou, em nota, o CEO da Voltalia, Sébastien Clerc.

O valor do negócio não foi informado em nota.

Em agosto, por exemplo, a empresa já havia anunciado um negócio nessa linha, que envolve a construção e operação de um parque eólico no Rio Grande do Norte que fornecerá toda produção à multinacional japonesa Toda.

(Por Luciano Costa)

Últimas