FGTS

Economia Governo estuda liberar saque de até R$ 1 mil do FGTS após Carnaval

Governo estuda liberar saque de até R$ 1 mil do FGTS após Carnaval

A expectativa é que a medida alcance 40 milhões de trabalhadores e injete até R$ 30 bilhões na economia em 2022

Agência Estado
Nova liberação do saque emergencial do FGTS pode ser de até R$ 1 mil

Nova liberação do saque emergencial do FGTS pode ser de até R$ 1 mil

Marcelo Camargo / Agência Brasil

O governo prepara uma nova rodada de saques de beneficiários do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A ideia é anunciar a medida após o Carnaval. A expectativa é que seja liberado o saque de até R$ 1 mil para cada trabalhador. Nas estimativas do governo, a ação pode alcançar 40 milhões de trabalhadores e injetar até R$ 30 bilhões na economia em 2022. A informação foi confirmada por fonte do Ministério da Economia.

O tema chegou a ser mencionado na terça-feira (22) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, durante sua participação em um evento realizado pelo banco BTG Pactual. Para autorizar o saque extraordinário das contas de FGTS em pleno ano eleitoral, deve ser publicada uma medida provisória (MP).

“São pessoas que têm recursos lá e que estão passando por dificuldades. Às vezes, o cara está devendo dinheiro no banco e está credor no FGTS. Por que não pode sacar essa conta e liquidar a dívida dele do outro lado?", disse Guedes, em fala durante o evento.

Uma ação semelhante foi autorizada no governo do ex-presidente Michel Temer (MDB) em dezembro de 2017 e teve ampliação na atual gestão. Medidas anteriores já liberaram a retirada de quase R$ 100 bilhões do fundo de garantia. 

Em 2020, no primeiro ano da pandemia de Covid-19, o saque emergencial do FGTS foi uma das medidas criadas pelo governo federal para minimizar os efeitos da crise sanitária e liberou pagamentos de até R$ 1.045 do fundo aos trabalhadores com carteira assinada.

O valor retirado no ano passado no saque emergencial chegou a R$ 24,2 bilhões, de um total de R$ 36,5 bilhões disponibilizados, segundo a Caixa Econômica Federal, responsável pela operação do pagamento do benefício. A medida beneficiou 31,7 milhões de trabalhadores.

Últimas