Economia Governo inclui Correios, Telebrás e mais 7 em pacote de privatizações

Governo inclui Correios, Telebrás e mais 7 em pacote de privatizações

Governo estima que a estatização das 17 empresas incluídas Programa de Parcerias e Investimentos devem render até R$ 2 trilhões aos cofres públicos

privatizações

Novas empresas devem render R$ 700 bi ao governo

Novas empresas devem render R$ 700 bi ao governo

Carolina Antunes/PR - 9.4.2019

O governo federal adicionou nesta quarta-feira (21) nove novas estatais no pacote de privatizações articuladas para os próximos meses. A decisão inclui à lista do programa de desestatização as companhias ABGF, Emgea, Serpro, Dataprev, Ceagesp, Codesp, Ceitec, Telebrás e Correios.

Com a decisão, o PPI (Programa de Parcerias e Investimentos) agora é composto por 17 empresas estatais. Pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro disse que as privatizações começarão pelos Correios.

Brasil tem empresas estatais demais? 5 perguntas sobre privatização

As novas empresas incluídas no PPI devem render mais R$ 700 bilhões ao plano de privatizações. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, estima que agora o pacote vai resultar em investimentos "próximos" de R$ 2 trilhões aos cofres públicos.

Confira a lista das estatais que devem ser privatizadas

Já presentes no programa:

• Casa da Moeda;
• Ceasaminas (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais);
• CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos);
• Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A.);
• Codesa (Companhia Docas do Espírito Santo);
• EBC (Empresa Brasil de Comunicação);
• Eletrobrás;
• Lotex (Loteria Instantânea Exclusiva).

Novidades:

• Emgea (Empresa Gestora de Ativos);
• ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias);
• Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados);
• Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social);
• Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo);
• Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo).
• Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada);
• Telebrás;
• Correios.

Questionado sobre a possível inclusão da Petrobras em uma lista futura, Lorenzoni disse que a petroleira é uma empresa global e há ainda a necessidade de mais estudos sobre eventual processo.

"Não temos ainda uma definição do Ministério [de Minas e Energia], do governo e da empresa, de colocarmos como um todo no PPI", afirmou o ministro.

Área social

Além de incluir nove empresas no Programa de Parcerias de Investimentos, o governo federal anunciou serão alvo de estudos com o objetivo de atrair investimentos privados.

O governo irá se debruçar sobre projetos voltados para a universalização do saneamento, creches, unidades prisionais, iluminação pública para enfrentamento à criminalidade, atendimento socioeducativo, recuperação energética de resíduos e sólidos urbanos.

61% são contra privatização da Petrobras e 55% contra dos Correios

Os estudos irão envolver os ministérios da Educação, da Justiça, da Mulher e Direitos Humanos, do Desenvolvimento Regional e do Meio Ambiente.

A parceria privada nas creches, segundo o governo, tem potencial de envolver questões como a finalização das obras e contratação de professores. Durante a coletiva, foi dito que há mais de mil creches inacabadas em todo o Brasil onde foram alocados recursos públicos.

As novidades foram anunciadas em coletiva após a 10ª reunião do Conselho do PPI. Segundo Onyx, assim que forem finalizados estudos do Ministério da Saúde, as UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) também poderão ser incluídas no programa.