Economia IBGE adia início do Censo 2022 de 1º de junho para 1º de agosto

IBGE adia início do Censo 2022 de 1º de junho para 1º de agosto

Motivo foi a troca da banca responsável pela seleção de 183.021 recenseadores e 23.870 agentes censitários

Agência Estado - Economia
Mais de 1,1 milhão de pessoas se inscreveram para trabalhar no Censo

Mais de 1,1 milhão de pessoas se inscreveram para trabalhar no Censo

Cal Guimarães/Agência IBGE

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou que a coleta da pesquisa para o Censo Demográfico 2022 vai começar em 1º de agosto, e não mais em 1º de junho, como estava previsto. O motivo foi a troca da banca responsável pela organização do PSS (processo seletivo simplificado) para a contratação de 183.021 recenseadores e 23.870 agentes censitários.

O Censo deveria ter sido realizado em 2020, já que é feito de dez em dez anos, mas foi sendo adiado por falta de verba e pela pandemia da Covid-19.

Para a realização do levantamento neste ano, foi aprovado e sancionado um orçamento de R$ 2,3 bilhões.

Mais de 1,1 milhão de pessoas se inscreveram até a última sexta-feira para trabalhar no Censo 2022.

Para confirmar a participação, os candidatos devem pagar a taxa de inscrição até 16 de fevereiro. Os recenseadores contratados visitarão, entre agosto e outubro, mais de 70 milhões de domicílios em todos os municípios do país.

Últimas