Economia Ibovespa tem com maior série de altas semanais desde 2017

Ibovespa tem com maior série de altas semanais desde 2017

Índice caiu 0,32%, a 118.023,67 pontos, nesta sexta-feira, após encostar em recorde intradia ao longo da sessão

Reuters
Ibovespa fechou a semana aos 118.023,67 pontos

Ibovespa fechou a semana aos 118.023,67 pontos

Paulo Whitaker/Reuters - 24.8.2015

O Ibovespa voltou a flertar com os 119 mil pontos nesta sexta-feira (18) e, embora não tenha conseguido manter o fôlego, engatou a maior sequência de ganhos semanais desde 2017, com o capital externo coibindo movimentos de realização de lucros.

Após as compras de estrangeiros no segmento Bovespa superarem as vendas em novembro em mais de R$ 33 bilhões, dezembro já contabiliza um saldo positivo de R$ 11,57 bilhões até o dia 16, dado mais recente disponibilizado pela B3.

O pano de fundo desse movimento contempla estímulos monetários e fiscais significativos e perspectivas de mais medidas, bem como o começo do processo de vacinação contra a covid-19 no mundo e o desfecho da eleição norte-americana.

"Condições financeiras extremamente frouxas podem ter desencadeado uma mudança nas condições econômicas globais em direção a um dólar mais fraco e, consequentemente, preços de commodities mais altos e melhores perspectivas para os preços de ativos de mercados emergentes", afirmou Jean Van de Walle, diretor de investimentos da Sycamore Capital.

Na máxima desta sexta-feira, o Ibovespa chegou a 119.370,48 pontos, encostando no recorde intradia de 119.593,10 apurado em 24 de janeiro. A máxima de fechamento é de 119.527,63 pontos, alcançado no dia 23 do mesmo mês.

Com a performance desta semana, o Ibovespa acumulou a maior série de ganhos semanais desde a sequência de oito semanas fechando no azul encerrada em 15 de setembro de 2017. Das mínimas do ano em março, acumula ganho de mais de 90%.

Nesta sexta-feira, o Ibovespa fechou em queda de 0,32%, a 118.023,67 pontos, mas terminou a semana com elevação de 2,5%, ampliando o ganho em dezembro para 8,38%. No ano, acumula agora acréscimo de 2,06%.

Últimas