Economia Inadimplência sobe ao nível mais alto em quase quatro anos, diz BC

Inadimplência sobe ao nível mais alto em quase quatro anos, diz BC

Autoridade monetária avalia que a capacidade de pagamento se deteriorou mesmo diante de indicadores melhores para a economia e o mercado de trabalho

Reuters
BC prevê aumento de 14,2% do crédito neste ano

BC prevê aumento de 14,2% do crédito neste ano

Freepik/stefamerpik

A inadimplência em recursos livres no Brasil avançou em outubro para o nível mais alto em quase quatro anos, mostam dados do BC (Banco Central) revelados nesta segunda-feira (28), em meio ao alto custo dos empréstimos após o agressivo ciclo de aperto monetário.

A taxa de inadimplência em recursos livres aumentou para 4,2% em outubro, vinda de 4,1% no mês anterior, a taxa mais elevada desde agosto de 2018, quando foi de 4,22%. Ao mesmo tempo, o spread bancário no mesmo segmento ficou em 30,3%; em setembro, foi de 28,6%.

O BC fez um alerta recentemente sobre riscos à estabilidade financeira do país em um eventual cenário de elevação de gastos públicos e incerteza sobre a trajetória de endividamento do governo, com impacto sobre prêmios de risco e expectativas de inflação.

De acordo com o BC, a capacidade das pessoas físicas de pagar se deteriorou, mesmo diante de indicadores melhores para a economia e o mercado de trabalho. O BC prevê aumento de 14,2% do crédito neste ano.

O estoque total de crédito no Brasil subiu 1% em outubro na comparação com setembro, a 5,215 trilhões de reais, o que corresponde a 54,9% do PIB (produto interno bruto), mostraram ainda os dados. Em 12 meses, a taxa desacelerou a 15,8%, de 16,4% em setembro.

Últimas