Economia Justiça de SP determina apreensão de emails de executivos da Americanas

Justiça de SP determina apreensão de emails de executivos da Americanas

Decisão cita pedido do Bradesco de produção de provas para eventual litígio contra a empresa, administradores e controladores

Reuters
Decisão prevê apreensão de emails corporativos dos últimos 10 anos

Decisão prevê apreensão de emails corporativos dos últimos 10 anos

Edu Garcia/R7 - 19.01.2023

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ordenou no início desta semana a apreensão de todos os emails corporativos de executivos e membros do conselho de administração da Americanas nos últimos 10 anos.

A juíza Andrea Palma concordou com pedido do Bradesco, que requisitou a apreensão de emails dizendo que "diretores, conselheiros, acionistas e auditores permitiram que uma fraude contábil de gigantesca dimensões ocorresse em uma das maiores empresas do Brasil".

O banco disse no pedido que tem empréstimos de R$ 4,7 bilhões tomados pela varejista, que obteve proteção judicial contra credores no início deste mês no Rio de Janeiro.

A juíza citou na decisão o pedido do Bradesco de produção de provas para eventual litígio contra a empresa, seus administradores e, eventualmente, seus controladores por “abuso de poder”. As provas servirão para “ensejar o ajuizamento de ação individualizadas contra eventuais participantes da fraude”.

A decisão ainda determina a apreensão de todas as comunicações por email dos administradores da Americanas nos últimos 10 anos, bem como emails de conselheiros e membros do conselho fiscal no mesmo período. A juíza também ordenou a apreensão de todos os emails dos funcionários das divisões de finanças e contabilidade.

Em sua decisão, a juíza afirma que, embora a Americanas tenha criado uma comissão para investigar o assunto, deve-se evitar qualquer risco de destruição de provas. A juíza nomeou a Ernst & Young e a advogada Patricia Punder como especialistas em contabilidade e evidências forenses para trabalhar no caso.

Procurada, a Americanas não comentou o assunto de imediato. O Bradesco não se manifestou.

Últimas