Economia Liminar suspende decreto de falência da Livraria Cultura

Liminar suspende decreto de falência da Livraria Cultura

Desembargador do TJSP atendeu ao pedido da companhia, que está em recuperação judicial e disse cumprir o plano apresentado

  • Economia | Do R7

Entrada da Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, em São Paulo

Entrada da Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, em São Paulo

Edu Garcia/R7 - 14.02.2023

Por meio de uma decisão liminar, nesta quinta-feira (16), a Livraria Cultura conseguiu a suspensão da sentença que decretou sua falência. A companhia, que está em recuperação judicial, teve seu pedido de recurso aceito pelo desembargador José Benedito Franco de Godoi, da 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

No despacho, Godoi justificou sua decisão ao declarar que os efeitos da sentença que decretava a falência da empresa seriam irreversíveis, e, por isso, seria necessário um exame "mais acurado" das provas apresentadas.

O plano de recuperação judicial da companhia foi aprovado pelos credores em abril de 2019.

No último dia 9, o juiz Ralpho Waldo de Barros Monteiro Filho, da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, decretou a falência da livraria e da 3H Participações, holding não operacional que administra o grupo. O magistrado afirmou que, além de descumprirem o aditivo do plano de recuperação judicial, as empresas não prestaram informações de maneira completa, o que impossibilitava verificar qualquer “perspectiva para a superação da crise”.

No recurso aceito nesta quinta, a Cultura reconheceu que atrasou pagamentos previstos no plano de recuperação, por causa da pandemia e de seus impactos econômicos no país. Argumentou, porém, que está em dia com seus compromissos financeiros, que são apontados como pendentes no processo.

A companhia também alegou que teria débitos de menos de R$ 6.000 com seus credores, que vão desde grandes bancos e varejistas até micro e pequenas empresas, e afirmou que todos estariam recebendo os pagamentos. A exceção seria o BB (Banco do Brasil), instituição com a qual estaria buscando uma negociação direta.

A Livraria Cultura tem uma unidade em São Paulo, no Conjunto Nacional, e outra em Porto Alegre (RS). Se a decisão de falência for mantida, as lojas devem ser lacradas em breve.

Últimas