Inflação

Economia Mais da metade dos reajustes salariais segue abaixo da inflação

Mais da metade dos reajustes salariais segue abaixo da inflação

Reposição média aos trabalhadores foi de 9,5% em fevereiro, patamar inferior à inflação de 10,6% apurada nos últimos 12 meses, aponta Salariômetro

  • Economia | Do R7

Piso médio oferecido nas negociações ficou em R$ 1.444

Piso médio oferecido nas negociações ficou em R$ 1.444

Marcello Casal JrAgência Brasil - 13.10.2020

Diante do retorno da inflação ao patamar de dois dígitos, menos da metade das negociações trabalhistas com data-base no mês de fevereiro resultou em ganho real (acima da inflação) para os trabalhadores, de acordo com dados do Salariômetro divulgados nesta quinta-feira (24) pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Conforme o levantamento, 55,7% das negociações encerradas fizeram os trabalhadores amargar uma perda real. Entre as demais, 15,1% apenas igualaram os reajustes ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e 29,2% foram superiores à inflação.

A pesquisa revela que o reajuste recebido pelos profissionais foi, em média, de 9,5%, o que representa uma defasagem de quase 1% em relação ao INPC acumulado nos últimos 12 meses, de 10,6%.

Na análise mediana, que reduz as distorções entre as maiores e as menores variações, a perda real foi de 0,36%, dado que mantém os reajustes abaixo do índice de preços pelo terceiro mês seguido.

De acordo com o levantamento, feito com base em dados do Ministério da Economia, os acordos resultaram em retornos maiores, de 10,5%, que os obtidos em convenções coletivas (10,2%). Com a atualização, o piso médio oferecido aos trabalhadores nas negociações ficou em R$ 1.444.

O Salariômetro mostra ainda que as projeções indicam que a inflação "não deixará espaço para ganhos reais" dos trabalhadores. Para o presidente do BC (Banco Central), o pico de inflação oficial de preços em 12 meses deve ocorrer somente no mês de abril

Últimas