Economia Medo de crise chinesa faz Ibovespa atingir mínima desde novembro

Medo de crise chinesa faz Ibovespa atingir mínima desde novembro

O índice teve baixa de 2,33%, aos 108.842,94 pontos; já o dólar fechou em alta de 0,78%, a R$ 5,3287, maior nível em um mês

Reuters
 Ibovespa teve baixa de 2,33%, aos 108.842,94 pontos

Ibovespa teve baixa de 2,33%, aos 108.842,94 pontos

Pixabay

O temor de que um calote de uma grande incorporadora da China enfraqueça mais a economia global provocou nova derrocada das Bolsas globais nesta segunda-feira (20), com o principal índice da Bolsa brasileira caindo ao pior nível em quase 10 meses. Já o dólar teve alta e registrou o maior patamar em um mês.

Leia também: Temor de calote da chinesa Evergrande derruba Bolsas

A moeda americana à vista subiu 0,78%, a R$ 5,3287. A alta percentual é a mais forte desde o último dia 8 (+2,84%), e o nível de fechamento é o mais alto desde 23 de agosto (R$ 5,3823).

Pressionado sobretudo por ações de empresas de commodities e de bancos, o Ibovespa teve baixa de 2,33%, aos 108.842,94 pontos. O giro financeiro da sessão somou R$ 32,5 bilhões.

Ações de empresas de commodities, como Vale e Petrobras foram alguns dos principais destaques negativos. Além disso, papéis de bancos também caíram forte, refletindo temor de que novas altas da Selic esfriem o mercado de crédito no país.

Últimas