Economia Metade das fraudes tem recurso do auxílio emergencial devolvido

Metade das fraudes tem recurso do auxílio emergencial devolvido

De 382 mil auxílios emergenciais irregulares, 219 mil devolveram o benefício, num total de R$ 260,3 milhões

Devoluções do auxílio chegaram a R$ 260,3 milhões

Devoluções do auxílio chegaram a R$ 260,3 milhões

Marcelo Camargo/Agência Brasil - 21.07.2020

Somente metade das pessoas que receberam auxílio emergencial com indício de fraude devolveu o recurso para a União. A Receita Federal registrou um total 382.024 benefícios com irregularidades, segundo relatório apresentado nesta segunda-feira (25).

Leia também: PF abre 516 inquéritos sobre fraudes do auxílio emergencial

Até o momento, de acordo com o Ministério da Cidadania, 219 mil beneficiários que receberam o auxílio, mas não se enquadravam nos critérios da lei, devolveram o valor pago irregularmente. Com isso, voltaram aos cofres públicos R$ 260,3 milhões.

Ao todo, foram detectados e cancelados o cadastramento de mais de 3,82 milhões de pedidos irregulares, o que evitou a saída indevidamente dos cofres públicos de cerca de R$ 2,3 bilhões, segundo o goveno federal.

O auxílio emergencial, criado para minimizar os impactos da pandemia de coronavírus entre os trabalhadores informais e população de baixa renda, teve o último depósito em 29 de dezembro. Foram cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300, sendo que mães chefe de família tiveram direito em dobro.

O auxílio beneficiou 67,9 milhões de pessoas, com R$ 294 bilhões. Nesta quarta-feira (27), será liberado pela Caixa o último saque para 3,3 milhões de beneficários.

Inquéritos

Desde o início do programa, a Polícia Federal já instaurou 516 inquéritos policiais para investigar as fraudes no auxílio emergencial. Foram realizadas 20 prisões, em 29 operações policiais, com 58 mandados de busca e apreensão.

As ações fazem parte da força-tarefa chamada Estratégia Integrada de Atuação contra as Fraudes ao Auxílio Emergencial, da qual participam a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, o Ministério da Cidadania, a Caixa, a Receita Federal, a Controladoria-Geral da União e o Tribunal de Contas da União.

Últimas