Imposto de Renda 2022

Economia Metade dos consumidores não sabe o prazo de entrega do IR 2022

Metade dos consumidores não sabe o prazo de entrega do IR 2022

Segundo pesquisa, outros 36% não sabem também se vão declarar o Imposto de Renda em 2022; prazo termina em 31 de maio

  • Economia | Do R7

Prazo para entrega da declaração do IR 2022 termina no dia 31 de maio

Prazo para entrega da declaração do IR 2022 termina no dia 31 de maio

ROBERTO GARDINALLI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO-13/4/2022


O fim do prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2022 termina no dia 31 de maio. Faltando menos de 15 dias, pesquisa realizada pela Acordo Certo, fintech do Grupo Boa Vista voltada para negociação de dívidas, mostrou que 36% dos consumidores entrevistados não sabem se vão declarar o IR em 2022 e 56% desconhecem o prazo para a entrega.

Até as 16 horas da segunda-feira (16), haviam sido entregues 22.288.470 declarações, segundo a Receita Federal. A expectativa é que no total 34,1 milhões de declarações sejam enviadas até o final do prazo.

De acordo com a pesquisa, 55% dos consumidores sabem o que precisa ser declarado e 64% sabem quem precisa declarar. Mas, quanto maior a idade, maior é o conhecimento sobre a contribuição.

Dos entrevistados entre 18 e 25 anos, apenas 34% afirmam saber o que deve ser declarado e 43% quem precisa declarar, enquanto, entre os que têm 65 anos ou mais, 84% compreendem o que precisa ser declarado e 90% quem precisa declarar.

“Muitos brasileiros deixam de declarar o Imposto de Renda por falta de conhecimento ou por acharem que não há grandes problemas em deixar a declaração de lado. Entretanto, não declarar o IR pode trazer algumas dores de cabeça com o seu CPF, como o bloqueio da conta bancária do trabalhador ou fazer com que ele não consiga abrir novas contas em bancos, financiar imóveis e até mesmo carros”, explica Bruna Allemann, economista e educadora financeira da
Acordo Certo.

É obrigado a declarar quem teve rendimentos tributáveis que, somados, passaram de R$ 28.559,70 no ano passado; quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte de mais de R$ 40 mil também precisa enviar; quem negociou ações na Bolsa de Valores, tinha bens acima de R$ 300 mil ou teve receita de mais de R$ 142.798,50 em atividade 
rural também deve declarar.

Ainda de acordo com a pesquisa, entre os 27% que informaram que vão declarar o
Imposto de Renda neste ano, apenas 15% têm algum valor a ser restituído, ou seja, a receber de volta no fim do ano.

Outros 22% dizem ser isentos e não precisam fazer a declaração. O pagamento de contas será o principal destino do dinheiro restituído. Pagar dívidas (34%), pagar contas do dia a dia (31%), aplicar em um investimento (19%), reformar a casa (8%), estudos/escola/faculdade (7%), comprar
alimentos e itens básicos (6%) estão entre as prioridades, mostrou o estudo.

“Qualquer dinheiro extra na conta-corrente é sempre bem-vindo. Por isso, a restituição do Imposto de Renda 2022 retido na fonte pode aliviar um pouco a vida financeira de muita gente. Lembrando que tem imposto a ser restituído aquele contribuinte que, depois de todos os ajustes entre receitas e despesas, sofreu retenção na fonte maior do que o seu imposto devido”, avalia a especialista.

Entre os 2.432 entrevistados na pesquisa, a maioria trabalha com carteira assinada e tem renda tanto familiar como pessoal de até dois salários mínimos. Dos consumidores CLT, 37% têm desconto de IR direto no salário e, destes, 66% afirmam saber o valor que é descontado.

Arte/R7

Últimas