Inflação

Economia Ministério da Economia eleva de 6,5% para 7,9% expectativa de inflação para 2022

Ministério da Economia eleva de 6,5% para 7,9% expectativa de inflação para 2022

Previsão aponta que o índice oficial de preços vai furar o teto da meta do governo pelo segundo ano consecutivo

  • Economia | Do R7

Governo prevê inflação maior em 2022 e 2023

Governo prevê inflação maior em 2022 e 2023

Edu Garcia/R7 - 20.04.2022

O governo federal elevou para 7,9% a expectativa de inflação oficial para 2022, de acordo com informações publicadas nesta quinta-feira (19) pela Secretaria de Política Econômica, vinculada ao Ministério da Economia. A projeção anterior indicava para uma alta de 6,5% do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) ao final deste ano.

Mais cedo, durenta evento nesta quinta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Brasil já saiu do "inferno" da inflação, ao contrário de países desenvolvidos - que mostram aceleração dos preços.

Caso a nova expectativa do Boletim Macrofiscal seja confirmada, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) chegará ao fim de 2022 próximo do dobro da meta estabelecida pelo governo para o ano, de 3,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto (de 2% a 5%).

O próprio Banco Central já admite que o índice oficial de preços vai furar o teto da meta preestabelecida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional) pelo segundo ano seguido, conforme dados apresentados pela última edição do RTI (Relatório Trimestral de Inflação).

Ao destacar a nova projeção, a pasta cita as recentes altas dos produtos que compõem os grupos de alimentação e bebidas, que acumula variação de 13,46% no acumulado em 12 meses até abril. Também foi mencionado o grupo transportes, impactado pelo preço dos combustíveis, que tem oscilado entre 17% e 20% no acumulado de 12 meses entre janeiro e abril.

Para 2023, a projeção do governo subiu de 3,25% para 3,6%. A partir de 2024, o ministério da Economia avalia que haverá uma convergência da inflação medida pelo IPCA para a meta de 3% ao ano.

Em relação ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador usado para a correção dos salários mínimos, aposentadorias e pensões, a projeção para 2022 saltou de 6,7% para 8,1%. Em 2023, o índice deve alcançar 3,7%.

Últimas