Economia Odebrecht pode ser proibida de ter contratos públicos na Colômbia

Odebrecht pode ser proibida de ter contratos públicos na Colômbia

Governo colombiano pediu a órgão regulador que impeça construtora brasileira de participar de obras do Estado pelos próximos 20 anos

Reuters
Odebrecht se envolveu em corrupção na Colômbia

Odebrecht se envolveu em corrupção na Colômbia

Eduardo Anizelli/Folhapress

O governo colombiano pediu ao órgão regulador das empresas no país que proíba a construtora brasileira Odebrecht de fechar contratos públicos por 20 anos, depois que a empresa reconheceu o pagamento de propinas.

A petição ao regulador foi feita na noite de segunda-feira pela vice-presidente da Colômbia, Marta Lucia Ramirez, e Carlos Gomez, chefe da agência que supervisiona a defesa legal do Estado.

"Este é um dos piores ataques cometidos contra a moralidade do país, que causou sérios prejuízos nas finanças públicas e foi a fonte de sérios danos à ética pública", disse a carta.

A Odebrecht não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A Odebrecht está no centro do maior escândalo da corrupção da América Latina e reconheceu em 2016 que subornou autoridades em uma dezena de países.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, os subornos da Odebrecht na Colômbia totalizaram cerca de US$ 30 milhões. A Odebrecht admitiu ter pago os subornos.

Quatorze pessoas envolvidas no escândalo da corrupção foram presas na Colômbia, incluindo um ex-senador e ex-ministro dos Transportes.

A Odebrecht, em parceria com uma empresa local, foi responsável pela construção de um trecho de 528 km de uma rodovia para o litoral caribenho, um contrato de mais de US$ 1 bilhão.

Últimas