Economia Ômicron pode causar perda de R$ 260 milhões na indústria do Rio 

Ômicron pode causar perda de R$ 260 milhões na indústria do Rio 

Estimativa da Firjan para janeiro leva em conta avanço das contaminações e afastamentos em razão da Covid-19

  • Economia | Do R7

Indústria pode perder R$ 260 milhões em janeiro

Indústria pode perder R$ 260 milhões em janeiro

Reuters - 2.3.2020

A Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) calcula que, devido aos novos casos de Covid-19 em todo o estado do Rio, a perda potencial na indústria fluminense pode chegar a R$ 260 milhões em apenas um mês. Somente no setor de óleo e gás, já são mais de 1.500 petroleiros contaminados.

O cálculo da Firjan considera o valor da produção diária por trabalhador da indústria, o protocolo de segurança – com isolamento social de pelo menos cinco dias – e a média móvel de 4.288 novos casos de Covid-19 confirmados no estado do Rio de 23 de dezembro a 10 de janeiro.

A estimativa faz parte de uma pesquisa feita pelo CDTS/Fiocruz (Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz) e Laboratório de Biologia Molecular da Firjan. O levantamento demonstrou a presença da variante Ômicron em 91 das 95 amostras selecionadas entre os testes positivos realizados nos trabalhadores da indústria do estado do Rio de Janeiro neste mês. Foram feitos 567 testes, dos quais 245 deram positivo para a Covid-19.

Leia mais: Ômicron vai atrasar recuperação dos mercados de trabalho, diz OIT

Do total, foram selecionadas 95 amostras para o sequenciamento genético do Sars-CoV-2, que indica qual a variante presente. Somente quatro eram da variante Delta, predominante no ano passado. As demais eram da Ômicron, que chegou ao Brasil no final de 2021. O sequenciamento utilizou amostras com alta carga viral, o que facilita a detecção da variante.

"O levantamento confirma a percepção do crescimento da Ômicron e de sua alta transmissibilidade. Os pesquisadores alertam para a importância da vacinação e da manutenção dos protocolos de segurança e cuidados contra a Covid-19 no ambiente de trabalho", adverte o estudo.

Últimas