Ônibus e tomate puxam inflação para famílias de baixa renda

Indicador ficou em 0,73% no período em comparação com março, quando era de 0,67%. Nos últimos 12 meses, o índice acumula alta de 5,86%

Tarifa de ônibus registrou índice de 2,12% em abril deste ano

Tarifa de ônibus registrou índice de 2,12% em abril deste ano

Marcelo D. Sants/FramePhoto/Folhapress - 14.02.2019

A inflação para as famílias de baixa renda acelerou em abril. É o que mostra o IPC-C1 (Índice de Preços ao Consumidor Classe 1), divulgado na manhã desta segunda-feira (6) pela FGV (Fundação Getulio Vargas). 

O indicador ficou em 0,73% no mês em comparação com março, quando era de 0,67%.

As maiores influências para o resultado do mês foram a tarifa de ônibus urbano (2,12%), tomate (28,88%), gasolina (2,65%), cebola (13,11%) e refeições em bares em restaurantes (0,46%). 

Em contrapartida, as maiores influências negativas foram a tangerina (-21,34%), maçã (-5,69%), alface (-4,69%), laranja pera (-2,46%) e bombom e chocolate  (-5,46%). 

Nos últimos 12 meses, o índice acumula alta de 5,86%. De janeiro a abril deste ano, teve alta de 2,52%. 

Segundo a FGV, a maior parte das famílias de baixa renda gasta maiores parcelas do salário com alimentação, enquanto os mais ricos despendem mais dinheiro com educação, saúde e lazer. 

O IPC-C1 considera famílias com renda mensal entre um (R$ 998) e 2,5 salários mínimos (R$ 2.495).